Brasil

Comércio poderá funcionar das 6h às 20h em São Paulo


Ampliação do horário de funcionamento, que entra em vigor a partir de sábado, 1/05, foi uma demanda da Facesp ao governo paulista. Serviços também terá horário estendido


  Por Redação DC 28 de Abril de 2021 às 16:40

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O governo paulista vai prorrogar a fase de Transição do Plano São Paulo por mais uma semana, até o dia 9 de maio. Mas o comércio e prestadores de serviços poderão operar por um período maior, das 6h às 20h, para atendimento presencial, que continuará limitado a 25% da capacidade máxima.

O horário estendido das 6h às 20h vale a partir do próximo sábado, 1/05, para estabelecimentos comerciais, galerias, shoppings e serviços, como restaurantes, salões de beleza, barbearias, academias, entre outros. Até a data, os estabelecimentos devem continuar funcionando das 11h às 19h.

A extensão do período em atividade foi uma solicitação de Alfredo Cotait Neto, presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), durante reunião on-line com o governador João Doria na semana passada.

Outra sugestão apresentada pela Facesp e atendida pelo governo foi a antecipação do dia de anúncio do Plano São Paulo. A proposta, defendida pela rede de Associações Comerciais, tinha como objetivo preparar os comerciantes para o feriado de 1º de maio, sendo o final de semana que antecede o Dia das Mães, uma das principais datas do calendário do comércio.

Parques estaduais e municipais também poderão ficar abertos, mas com horário das 6h às 18h.

Na fase de Transição, além da limitação no horário de funcionamento e na capacidade de atendimento presencial, permanecerá em vigor o toque de recolher entre 5h e 20h, a obrigatoriedade de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais, e a recomendação de escalonamento para entrada e saída de trabalhadores.

As medidas valem de forma homogênea para todo o Estado.

Com o novo anúncio, fase de Transição deve vigorar até 9 de maio. A partir de então, regiões que não tiverem piora nos indicadores da pandemia poderão migrar para a fase Laranja.

Na fase Laranja, o toque de recolher deixa de existir, assim como o teletrabalho para atividades administrativas não essenciais. O horário de funcionamento e a capacidade de atendimento são ampliados.

Segundo o governo paulista, nesta quarta, a taxa de ocupação de UTIs por pacientes graves com covid-19 está em 80% no estado e em 78,4% na Grande São Paulo.

O total de internados em UTIs era de 10.426 em todo o estado, com outros 11.686 pacientes em vagas de enfermaria.






Publicidade




Publicidade







Publicidade