Brasil

Comércio da Grande SP só poderá funcionar por 8 horas diárias


A região recuou para a fase laranja do Plano São Paulo juntamente com Campinas, Registro e Sorocaba. Já Marília e Ribeirão Preto caíram para a fase vermelha


  Por Redação DC 26 de Fevereiro de 2021 às 16:58

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A Grande São Paulo regrediu para a fase laranja do plano de flexibilização da quarentena do governo paulista. Com isso, comércio e serviços terão menos tempo para funcionar ao longo do dia e o consumo presencial em bares fica proibido. Medida vale a partir de segunda-feira, 1/03.

Junto com a Grande São Paulo, regrediram da fase amarela para a laranja as regiões de Campinas, Registro e Sorocaba. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 26/02, pelo governo paulista.

Já estavam na fase laranja as áreas de Franca, São José do Rio Preto, São João da Boa Vista e Taubaté. Nesta fase, o funcionamento dos serviços não essenciais é limitado a até oito horas diárias, com atendimento presencial máximo de 40% da capacidade e encerramento às 20h. O consumo local em bares está totalmente proibido.

As regiões de Marília e Ribeirão Preto tiveram piora significativa nos índices da pandemia e foram colocadas pelo governo na fase vermelha, com restrição total de comércios e serviços não essenciais.

Na etapa vermelha só é permitido o funcionamento normal de farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria.

Os comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos.

As regiões de Araraquara, Barretos, Bauru e Presidente Prudente permaneceram na fase vermelha.

A única região do estado onde os indicadores da pandemia melhoraram foi Piracicaba, que avançou para a fase amarela, onde já estavam Araçatuba e Baixada Santista.

Municípios em áreas de fase amarela podem permitir 40% de ocupação em academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros, shoppings, concessionárias, escritórios e parques estaduais, com expediente de até dez horas diárias para restaurantes e 12 horas para as demais.

O atendimento presencial deve ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas fecham mais cedo, às 20h. Eventos que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.

Desde a última reclassificação, no dia 19, na fase amarela a venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência e restaurantes passa a ser permitida por mais duas horas, das 6h às 22h.

Nas etapas laranja e vermelha, permanece o limite entre 6h e 20h. Somente a partir da fase verde, a mais branda, é que essa comercialização poderá voltar a ser feita sem as restrições atuais.

PANDEMIA NO ESTADO DE SP

A média estadual passou de 287,9 para 279 novos casos por 100 mil habitantes. A taxa de novas internações aumentou de 46,3 para 50,4 a cada 100 mil habitantes, e as novas mortes tiveram ligeira queda, de 7,3 para 7 por 100 mil habitantes.

A média estadual de ocupação de leitos de UTI por pacientes graves de covid-19 aumentou de 66,7% para 70,4%, com 20,5 vagas a cada 100 mil habitantes.

 






Publicidade





Publicidade







Publicidade