Brasil

Bolsonaro vence em 16 estados, o dobro de Haddad


Ele e Haddad disputam a Presidência pela primeira vez e foram os dois mais votados entre os 13 postulantes ao Palácio do Planalto


  Por Estadão Conteúdo 07 de Outubro de 2018 às 22:15

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, é o mais votado em 16 Estados e no Distrito Federal. O capitão reformado do Exército só ficou atrás de Fernando Haddad (PT) nos oito Estados do Nordeste e no Pará. Ciro Gomes (PDT) liderou a disputa no Ceará, seu berço político.

Bolsonaro (46% dos votos) e Haddad (29,3%) disputam a Presidência pela primeira vez e foram os dois mais votados entre os 13 postulantes ao Palácio do Planalto.

O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, houve duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

O Nordeste que garantiu a vitória a Dilma Rousseff em 2014 também assegurou a ocorrência de segundo turno neste ano.

O Estado em que Bolsonaro teve vitória mais acachapante foi Santa Catarina, onde ficou na casa dos 65%, contra 15% de Haddad.
O petista, por sua vez, dominou com maior diferença no Piauí, com 62% dos votos válidos ante 19% do candidato do PSL. No Ceará, Ciro obteve 41% e venceu Haddad, que pontuou 32%.

Minas Gerais, Estado conhecido politicamente por ser representativo do Brasil — com um Norte pobre e um Sul rico —, espelhou quase que de modo idêntico a disputa em âmbito nacional. Lá, Bolsonaro obteve 48% e Haddad, 27%.

EM SÃO PAULO

Com 99,88% das urnas apuradas, João Doria (PSDB) lidera com 31,76% dos votos válidos a apuração para governador de São Paulo.

Ele é seguido por Márcio França (PSB), com 21,54%, que acabou de ultrapassar Paulo Skaf (MDB), que, com 21,09% dos votos, agora é o terceiro. João Doria está matematicamente no segundo turno contra Márcio França.

O número parcial de abstenções foi de 21,55% e brancos e nulos, 20,59%.

França deve sua inesperada ida ao segundo turno ao seu bom desempenho que obteve no Litoral Sul paulista e na Região do Vale do Ribeira, seus tradicionais reduto eleitorais.

França registrou vitórias em municípios do Centro-Oeste Paulista. O candidato obteve suas melhores votações em termos proporcionais em cidades como São Vicente, onde foi prefeito, Iguape, no Litoral Sul, Pedro de Toledo, e Caiuá e Quatá, na micro região de Presidente Prudente.

Na capital paulista, Marcio França conseguiu superar Paulo Skaf por uma diferença inferior a 10 mil votos, replicando o resultado apertado em todo Estado. João Dória, que abandonou a prefeitura de São Paulo para disputar o governo, registrou 26,3% dos votos, ficando ainda em primeiro lugar.

Com 98,28% das urnas apuradas, Major Olimpio (PSL) e Mara Gabrilli (PSDB) estão matematicamente eleitos para o Senado em São Paulo. Eles terão oito anos de mandato a partir do ano que vem. Major Olímpio obteve 25,79% dos votos válidos e Mara 18,63%.

Com isso, deixaram para trás o candidato Eduardo Suplicy (PT), que tentava voltar ao Senado. O ex-senador e atual vereador vinha liderando as pesquisas de intenção de voto divulgadas até a véspera da eleição.

Obteve, contudo, 13,32% dos votos válidos, considerando as 97,62% das urnas apuradas. Também ficou de fora o candidato Tripoli (PSDB), que teve apenas 9,04% dos votos. Maurren Maggi (PSB) vem na sequência com 8,46%.

FOTO: Tânia Rêgo/Agência Brasil