Brasil

Bolsonaro quebra a barreira dos 40% nas pesquisas Ibope e Datafolha


Já o petista Fernando Haddad tem 25% dos válidos, três pontos a menos do que na pesquisa anterior, divulgada na quarta-feira


  Por Estadão Conteúdo 06 de Outubro de 2018 às 20:47

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Na véspera da eleição presidencial, Jair Bolsonaro (PSL) cresceu três pontos percentuais e chegou a 41% das intenções de votos válidos na pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada na noite deste sábado (6/10).

Favorito para conquistar a segunda vaga em um eventual segundo turno, o petista Fernando Haddad tem 25% dos válidos, três pontos a menos do que na pesquisa anterior, divulgada na quarta-feira.

No levantamento do Datafolha, também divulgado nesta noite, o candidato do PSL detém 40% das intenções de votos válidos, sem contar eleitores que pretendem votar em branco ou nulo, ou estão indecisos.

Na segunda colocação, Fernando Haddad (PT) aparece com 25% dos votos válidos. Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com 15%, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%.

Para vencer no primeiro turno, Bolsonaro precisa de 50% dos votos válidos mais um –ou seja, isso só seria possível com a conquista de mais nove pontos porcentuais no dia da votação.

Em um segundo turno, se ele ocorresse neste momento, o placar seria de 52% a 48% para Bolsonaro, nos votos válidos. Como a margem de erro é de dois pontos percentuais, há empate técnico no limite da margem de erro.

Isso significa que há uma pequena chance de eles estarem empatados, mas a maior probabilidade é que o candidato do PSL esteja na frente.

Se Ciro Gomes (PDT) conseguisse chegar ao segundo turno, ele teria hoje 52% em um confronto com Bolsonaro, e este ficaria com 48% – também haveria empate no limite da margem.

Com a polarização entre Bolsonaro e Haddad, seus principais adversários não tiveram espaço para crescer na reta final: Ciro oscilou de 12% para 13% dos válidos e ficou com pouco mais da metade da votação de Haddad.

Geraldo Alckmin (PSDB) se manteve com 8%, e Marina Silva (Rede) passou de 4% para 3%.

Nos votos totais, ou seja, levando-se em conta os brancos e nulos, Bolsonaro subiu quatro pontos desde a quarta-feira, de 32% para 36%, enquanto Haddad oscilou de 23% para 22%. Na simulação de segundo turno com votos totais, o candidato do PSL teria 45%, e o do PT, 41%. Nulos e brancos seriam 12%, e os indecisos, 3%.

Rejeição a Bolsonaro e Haddad permanece no mesmo patamar
A rejeição a Bolsonaro e a Haddad permaneceu no mesmo patamar da pesquisa anterior. Enquanto a do candidato do PSL oscilou de 42% para 43%, a do petista passou de 37% para 36%.

Atrás deles, a maior rejeição é a de Marina Silva, em quem 22% dos eleitores não votariam “de jeito nenhum” — oscilação de um ponto para baixo em comparação com o último levantamento. Alckmin (16%) e Ciro (15%) oscilaram um ponto para baixo e aparecem na sequência.