Brasil

Associações comerciais serão protagonistas do projeto Vale do Futuro


Iniciativa do Governo do Estado de São Paulo pretende levar desenvolvimento social e econômico para a região do Vale do Ribeira


  Por Cleber Lazo  23 de Junho de 2021 às 16:12

  | Repórter Facesp cleber.lazo@facesp.com.br


As Associações Comerciais do Vale do Ribeira passam a ser protagonistas no projeto Vale do Futuro, iniciativa do Governo do Estado de São Paulo que visa o desenvolvimento social e econômico da região.

As associações comerciais terão como missão multiplicar as informações sobre o programa e também serão as porta-vozes, no contexto do projeto, das demandas apresentadas pela classe empreendedora, principalmente as micro e pequenas empresas (MPEs).

A reunião que selou a inclusão das entidades foi realizada na terça-feira (22), no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual. Participaram do encontro a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), presidentes das associações comerciais que compõe as regiões do Vale do Ribeira e Litoral, e o coordenador-geral do Programa Vale do Futuro, Marco Aurélio Gomes.

Gomes detalhou a iniciativa que tem previsão de investimentos, público e privado, de R$ 2 bilhões, os quais contemplarão quatro eixos principais: gestão sustentável, emprego e renda, qualidade de vida, e infraestrutura.

Vinte e duas cidades, que formam uma população de 340 mil habitantes, serão beneficiadas de forma direta. Porém, o impacto deverá ser sentido em municípios de todo o Litoral.  

“Este é um programa desenvolvido em parceria com a sociedade civil. As associações comerciais são as legítimas representantes da classe empreendedora e, desta forma, poderão levar as informações sobre o andamento do projeto e também trazer dados que nos ajudem a aperfeiçoar o programa”, afirmou o coordenador-geral.

PARCERIA

O vice-presidente da Facesp para a região do Vale do Ribeira, Júpter Darwin Furquim, comemorou o protagonismo das associações comerciais. “Nossa rede tem muito a contribuir com o desenvolvimento da região. Somos os representantes de uma classe que tem sofrido muito com a pandemia, mas que está disposta a trabalhar em conjunto com o governo estadual para melhorar a qualidade de vida e gerar emprego e renda no Vale do Ribeira”, disse Furquim, que também preside a Associação Comercial de Juquiá (Aciaju).

“Este é o maior programa de diminuição de pobreza e desenvolvimento econômico do Estado e um dos maiores do Brasil. As associações comerciais passaram a ter um canal direto e precisam aproveitar esta oportunidade”, afirmou Eliseu Braga Chagas, conselheiro do Conselho Consultor da Facesp.

O presidente da Associação Comercial de Iguape (Aciguape), Rodrigo Malavazi Aguiar, destacou que as associações comerciais necessitavam desta aproximação com o governo. “Ninguém faz nada sozinho. Sentimos falta desta proximidade e agora temos muito trabalho em conjunto para fazer”, frisou.

“A atenção dada a associação comercial será importante porque iremos levar ao conhecimento do governo os ‘pequenos problemas’ que afetam o comércio. Questões que muitas vezes não precisam de um investimento vultuoso, mas que, quando sanados, trazem grandes benefícios aos municípios”, avaliou o presidente da Associação Comercial de São Vicente (ACSV), Alcides Antoneli.

Já o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Peruíbe (ACEP), Eduardo Rodenas, elogiou a parceria e adiantou que o governo estadual precisa estudar medidas que minimizem o impacto da pandemia nas cidades turísticas, segundo ele, as mais atingidas pela crise da covid-19. “Ficamos muito satisfeitos com a garantia de que seremos ouvidos e que poderemos expressar as dificuldades daqueles que integram a nossa rede”, finalizou.

 





Publicidade





Publicidade









Publicidade