Brasil

Associação Comercial no mundo digital


No balanço de quatro meses de gestão, o presidente Alfredo Cotait Neto, foto, afirma que a entidade segue no caminho da renovação


  Por Wladimir Miranda 23 de Agosto de 2019 às 17:58

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


Ao completar quatro meses na presidência da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alfredo Cotait Neto reuniu colaboradores e diretores das entidades para um breve balanço.

Ele foi eleito em março para dois anos de mandato.

O auditório da entidade, no Centro Histórico de São Paulo, ficou lotado.

Alfredo Cotait Neto falou com entusiasmo, do que já foi feito e a respeito de planos para “renovar a Associação Comercial de São Paulo”.

A reunião foi realizada na quinta-feira, 22/08, um dia após o mesmo auditório ter recebido 70 jovens empreendedores, em evento promovido pelo Fórum dos Jovens Empreendedores (FJE), da ACSP.

Na ocasião, em um ambiente de muita descontração, os jovens assistiram à duas palestras: “Do analógico ao digital em um mercado transacional”, com Fabiano Kenzo, e o “Papel do novo empreendedor no ecossistema de inovação”, com a palestrante Alessandra Andrade, que é também vice-presidente da ACSP.

Alfredo Cotait Neto não quer que as palestras sobre o mundo digital sejam fatos isolados na entidade em sua gestão.

“A nossa vida está permeada pelo mundo digital. Todos nós estamos inseridos nas novas tecnologias. Precisamos trazer cada vez mais jovens para a nossa associação. Temos o compromisso de apoiar os jovens em tudo. A Alessandra Andrade será a responsável pela criação da startup da ACSP. Vamos investir no processo de modernidade”, disse.

Isso não significa, no entanto, que a entidade dará as costas para questões ligadas aos comerciantes.

A entidade vai seguir cumprindo sua tarefa de ser a porta-voz dos pequenos, médios e grandes empresários.

UNIÃO COM ENTIDADES DE LOJISTAS

Entidades de lojistas de ruas e regiões importantes de São Paulo, como a da 25 de março e do Bom Retiro, por exemplo, serão chamadas para discutir todos os problemas relacionados aos seus associados. O objetivo com a iniciativa é unir forças com estas associações para que os empreendedores que pagam seus caros impostos tenham seus direitos assegurados.

“A Associação Comercial de São Paulo vai continuar sendo a representante dos comerciantes junto aos poderes públicos municipal, estadual e federal. Já mostramos que temos força e vamos trabalhar para que as autoridades nos respeitem cada vez mais”, afirmou.

E como defensora dos comerciantes, a entidade pretende “pedir para que o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), revogue o sistema lançado em julho deste ano, que visa cadastrar 45 mil vendedores ambulantes”.

Trata-se do “Tô Legal”, programa que também funciona para pedidos de autorização para bicicletas compartilhadas e patinetes. A autorização é temporária e terá validade de até 90 dias.

Segundo o prefeito, o objetivo do programa é incentivar a legalidade e transparência para atividades comerciais em locais de grande movimento.

“Somos contra a legalização de 45 mil vendedores ambulantes. Antes tínhamos 1,8 mil regularizados na cidade. Se legalizarem estes 45 mil, o comerciante que paga seus impostos regularmente vai ter muitos problemas para continuar empreendendo. Vamos reunir todas as entidades representativas dos comerciantes para combinarmos uma ação de defesa dos nossos direitos” disse Cotait.

SEMANA BRASIL

Outra ação que visa beneficiar os comerciantes, que terá a ACSP como participante, será a Semana Brasil, inserida nas festividades da Semana da Pátria.

O pedido para a colaboração da ACSP foi feito pelo Governo Federal.

“Não serão sete dias e sim dez dias em que todo o comércio fará promoções para estimular as vendas. Serão dez dias para fomentar o consumo. É a ACSP confirmando a sua característica histórica de representar os comerciantes”, lembrou.

A ACSP sempre deu muita importância ao comércio exterior. Muitas ações são realizadas na entidade, tendo à frente a São Paulo Chamber of Commerce, um de seus órgãos mais atuantes e que promove relações internacionais da entidade e comerciais entre empresas brasileiras e estrangeiras. Mas Alfredo Cotait Neto quer dar mais “musculatura e visibilidade” à estas ações da entidade.

“Estamos estruturando um andar inteiro da nossa entidade para que o nosso departamento do comércio exterior tenha mais condições para desenvolver o seu trabalho. Vamos ter condições de receber as lições que chegam de fora. Inclusive as nossas distritais terão as portas abertas para o comércio exterior”.

A ACSP, reforça Cotait, continua de portas abertas também para receber mais associados.

“Os nossos associados sabem que aqui na entidade eles sempre encontrarão todos os tipos de serviços que precisam”, avisa.

PALESTRAS

As realizações para que a ACSP continue sendo uma entidade plural no aspecto político foram muitas nestes quatro meses de gestão, recorda Alfredo Cotait Neto.

A casa dos empreendedores de São Paulo recebeu a visita da Ministra da Agricultura, pecuária e Abastecimento, Teresa Cristina, de Marcos Cintra, Secretário da Receita Federal, do relator da comissão mista que analisou a MP 881, Jerônimo Goergen (PP/RS), aprovada, na Câmara Federal e no Senado.

“A Ministra Teresa Cristina fez uma brilhante palestra. O Deputado Federal Jerônimo Goergen contou com a nossa colaboração para a aprovação da MP da Liberdade Econômica. O Marcos Cintra expôs em primeira mão o projeto do governo para a reforma tributária. Ressalto que o Marcel Solimeo, nosso economista e assessor político teve uma grande participação para a aprovação da MP da Liberdade Econômica. Ele analisou ítem por ítem. Deu uma contribuição valiosa para que a MP fosse aprovada”, contou.

A Proposta de Emenda Constitucional 45, que trata da reforma tributária, foi outro assunto abordado por Alfredo Cotait Neto em seu balanço de quatro meses no comando da ACSP e da FACESP.

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

“Queremos que os estados tenham cada vez menos impostos. E a Associação Comercial de São Paulo defende a desoneração da folha de pagamento”, pregou.

Ele lembrou a luta liderada pela ACSP para que os comerciantes das regiões da Vila Prudente, Ipiranga e Mooca, muito prejudicadas pelas enchentes em maio deste ano, ficassem isentos do pagamento de impostos como o IPTU e de mensalidades de luz e água.

A ação social implementada pela ACSP de doar agasalhos aos mais necessitados também foi lembrada por Alfredo Cotait Neto.

As doações foram uma iniciativa do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC), que é coordenado por Ana Cláudia Badra, “que fez um trabalho elogiável ao doar 26 mil agasalhos aos mais necessitados”, afirmou Cotait.

“Não estamos parados, estamos trabalhando”, afirmou Alfredo Cotait Neto.

A Empresa de Registros de Duplicatas Eletrônicas (ERDC), em breve será mais um serviço que a ACSP colocará à disposição dos associados.

O Instituto de Ensino da ACSP também será inaugurado em breve.

“O objetivo do nosso instituto é dar instrução de primeira qualidade para os comerciantes e seus filhos. As empresas associadas vão poder indicar os seus funcionários para uma melhor qualificação em nossa instituição, que está preparada para formar pessoas à distância, pelo sistema EAD. Tudo está sendo feito para que a ACSP tenha um futuro ainda melhor”, encerrou Cotait.

FOTO: Wladimir Miranda