Brasil

68% da população quer impeachment de Dilma Rousseff


O apoio ao afastamento da presidente pelo Congresso Nacional saltou oito pontos em apenas um mês, revela pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (19/03)


  Por Redação DC 19 de Março de 2016 às 19:40

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


De cada cem eleitores brasileiros, 68 apoiam o impeachment da presidente Dilma Rousseff, revela pesquisa do Datafolha divulgada na tarde deste sábado (19/03).

O apoio ao afastamento da presidente pelo Congresso saltou oito pontos desde a última pesquisa, realizada em fevereiro passado. Para 65% da população Dilma deveria apresentar sua renúncia. Eram 58% no mês passado.

No mesmo período, caiu a proporção da população contrária ao impeachment, de 33% para 27%.

LEIA MAIS: Analistas preveem queda de Dilma em curto prazo

No levantamento conduzido entre os dias 17 e 18 de março, em que foram ouvidos 2.794 eleitores em 171 municípios, a reprovação ao governo da petista retornou ao nível recorde. De cada cem entrevistados, 69 qualificam sua gestão como ruim ou péssima.

De acordo com a Folha de S.Paulo, essa taxa é comparável aos 71% de reprovação atingidos pelo governo em agosto de 2015 -a maior taxa da série histórica do Datafolha, iniciada em 1989.

LEIA MAIS: "Impeachment" já é a bandeira das associações comerciais

A petista também lidera a lista de governo marcado por maior corrupção. Na sequência, de acordo com o Datafolha, despontam Lula e o ex-presidente Fernando Collor.

Não por coincidência, a corrupção é citada pela segunda vez consecutiva como o principal problema do país. O mesmo levantamento do Datafolha aponta que a taxa de rejeição de Lula da Silva atingiu 57%, a maior entre candidatos à Presidência.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece na frente em todos os cenários apurados por pesquisa de intenção de voto realizada pelo Datafolha nos dias 17 e 18 de março, para a eleição presidencial de 2018.

Ela apresenta de 21% a 24% das preferências dos entrevistados, dependendo de quem seria o candidato do PSDB no pleito.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi o político que mais perdeu em intenções de voto entre a pesquisa anterior realizada pelo Datafolha, em fevereiro, e o levantamento de março.

Lula perdeu pontos acima do nível da margem de erro em todas as simulações, que consideravam também Marina Silva e um de três políticos do PSDB, no caso o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e os senadores Aécio Neves (MG) e José Serra (SP).

Numa das simulações, Lula ficaria em terceiro lugar com 17%, Aécio seria o segundo colocado, com 19%, e Marina lideraria, com 21%. Nesta pesquisa, ele foi quem perdeu mais intenções de voto em relação às anteriores, pois tinha 24% em fevereiro e 27% em dezembro.

*Com informações de Estadão Conteúdo

FOTO: Estadão Conteúdo