Acontece no Estado

Vendas de Natal devem crescer 6% em Campinas e região


Injeção de recursos como FGTS/PIS e 13º salário no último trimestre de 2019 aumentam estimativa de vendas, de acordo com a ACIC


  Por Redação Facesp 07 de Novembro de 2019 às 16:17

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


A perspectiva para o Natal deste ano ganhou contornos mais otimismo e as vendas devem atingir um crescimento acima do ano passado, chegando entre 5% a 6%, de acordo com cálculos do Departamento de Economia da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC).

Em 2018, a data movimentou na Região Metropolitana de Campinas (RMC) R$ 6,1 bilhões. Para este ano, a movimentação financeira deve ser de R$ 6,3 bilhões. Segundo o economista Laerte Martins, a situação no País começa a mostrar alguma tendência de recuperação, com alguns indicadores impactando favoravelmente com a macroeconomia.

“A redução da Selic (taxa de juros), a injeção de recursos proveniente dos saques do FGTS e PIS, e o 13º salário, vão promover um aumento real no poder de compra do consumidor”, afirma Martins.

O presente médio deve ficar acima dos R$ 300,00, chegando a R$ 310,00, cerca de 7% acima do valor de R$ 290,00 do ano passado. “As medidas tomadas pelo governo federal, que disponibilizou R$ 42 bilhões do FGTS em parcelas individuais de até R$ 500, além da liberação de R$ 2 bilhões em recursos do PIS/Pasep, foram significativas para a população, aumentando sobremaneira a condição de consumir mais e melhor nas festas de fim de ano, e também acertar dívidas e voltar a ter crédito no mercado novamente”, lembra a presidente da ACIC, Adriana Flosi.

O maior incômodo na macroeconomia, segundo o economista da ACIC, é a taxa cambial, que alterou fortemente para cima, devido à restrição na taxa de juros, incentivando a fuga dos dólares para outras praças, que também tenham taxas mais favoráveis (altas) para os investidores estrangeiros.

CONTRATAÇÃO DE TEMPORÁRIOS

Com o maior otimismo nas vendas, impulsionado pela injeção de recursos para as festas de final de ano, comércio e serviços também deverão contratar mais mão de obra: serão 7.080 vagas temporárias para Campinas (4,27% acima de 2018) e 14.545 vagas temporárias para a Região Metropolitana de Campinas (4,30% acima de 2018).

“Acreditamos que 2020 será um ano melhor. Não é possível ainda prever a intensidade da retomada, pois ela acontece de forma lenta e gradual. No entanto, somos positivos e acreditamos naquilo que fazemos”, afirma a presidente da ACIC.

Em âmbito estadual, a contratação de temporários para o Natal deste ano deve se aproximar das 400 mil aquisições, o que representa 4,5% acima de 2018.