Acontece no Estado

Veja o resultado da pesquisa de confiança do empresário de São José dos Campos


Metade dos empresários entrevistados revelaram acreditar que as condições gerais da economia brasileira pioraram muito nesses seis meses


  Por FACESP 31 de Agosto de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Entre os dias 2 de junho e 19 de agosto de 2015, a Associação Comercial e Industrial de São José dos Campos entrevistou 265 empresários para identificar o Índice de Confiança do Empresário Joseense referente ao primeiro semestre de 2015. Até 2014 a pesquisa era trimestral, a partir de 2015 o índice passou a ser aferido semestralmente, com divulgação de dados em janeiro e em agosto, sempre referentes ao semestre anterior.

O principal objetivo desse estudo é demonstrar a confiança que o empresário dos segmentos de comércio e serviços têm no cenário econômico nacional e municipal. Segundo a pesquisa, 50% dos empresários revelaram acreditar que as condições gerais da economia brasileira pioraram muito nesses seis meses. Já com relação às condições gerais do município, 51% afirmaram ter piorado e 22% disseram que não se alteraram.

Na opinião dos comerciantes, a situação deverá permanecer estagnada nos próximos meses. Para 39% dos entrevistados, a economia local deverá permanecer na mesma situação, e 37% estão pessimistas. Por sua vez, apenas 14% estão otimistas com os próximos meses.

Com a diminuição das vendas, principalmente em datas comemorativas, os empresários afirmam que as vendas foram ruins neste período e apenas 10% revelaram terem sido boas. Já os próximos meses são de estabilidade para 42% dos empresários joseenses.

A pesquisa também apontou que 33% dos entrevistados não planejam fazer novos investimentos em seus comércios neste ano, o que mostra que os empresários estão cautelosos em relação à economia do país.

De acordo com o presidente da ACI, Felipe Cury, esta pesquisa revela a difícil fase da economia para o comércio. “O ano de 2014 foi muito ruim! Só que 2015 superou em dificuldades, é o pior momento econômico que o Vale do Paraíba atravessa”, afirmou Cury.