Acontece no Estado

Taxa de juros de Sorocaba é menor que a média nacional


Pesquisa realizada pela Associação Comercial de Sorocaba mostra que a taxa média cobrada pelos lojistas é de 3,02% ao mês, quando o parcelamento for entre 4 e 24 vezes - média nacional é de 4,99% ao mês


  Por Redação Facesp 05 de Setembro de 2019 às 15:15

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Pagamento à vista ou a prazo? A clássica pergunta ao consumidor no final da compra. Entre o que é mais vantajoso ou não, fica a critério do cliente escolher a melhor opção. A venda a prazo é a escolha para quem não pode desembolsar o valor total naquele momento, sendo necessário que ele seja parcelado.

Neste tipo de compra, geralmente há o acréscimo de juros, baseado no valor do produto e que são embutidos nas prestações.

Uma pesquisa realizada pelo setor de economia da Associação Comercial de Sorocaba, em parceria com a Esamc Jr., ouviu diversos segmentos do comércio da cidade, visando levantar as taxas em relação ao famoso crediário.

O estudo apontou que a taxa média cobrada pelos lojistas é de 3,02% ao mês, quando o parcelamento for entre 4 e 24 vezes.

Estes números mostram que o comércio de Sorocaba pratica uma taxa de juros menor que a média nacional, de 4,99% ao mês.

Em comparação com as outras formas de financiamento oferecidas aos consumidores, as taxas médias de juros cobradas no último mês foram:

- Cartão de Crédito - 11,46% ao mês e 272,28% ao ano;

- Cheque Especial - 11,76% ao mês e 280,45% ao ano;

- Empréstimo pessoal nas financeiras - 6,71% ao mês e 120,53% ao ano.

O economista Luiz Buriel Junior conclui que, baseado nestes números, em comparação às outras formas de pagamento oferecidas pelo mercado, é mais vantajoso comprar no comércio local, através dos financiamentos próprios (crediário), oferecidos pelos lojistas.

CONFIANÇA

Para o presidente da Associação Comercial de Sorocaba, Sérgio Reze, o crédito é uma questão de confiança entre a empresa e o cliente. “Juntos, eles podem fazer o varejo e o consumo crescerem”.

Reze destaca ainda que o consumo interno é impulsionado pelo crédito às pessoas físicas, especialmente porque os atuais níveis de inadimplência, comprometimento de renda e endividamento das famílias estão em níveis mais baixos, se comparado aos padrões históricos, segundo avaliam os especialistas.

Para auxiliar os lojistas a vender de forma mais segura, a Associação Comercial oferece consultas de análise de risco e crédito, para pessoa física e jurídica, através da Boa Vista SCPC. Além disso, os empreendedores podem aderir ao Serviço de Recuperação de Crédito, uma cobrança realizada de forma amigável aos consumidores. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3331-1003.