Acontece no Estado

Região discute problemas e situação econômica


Libânio Victor Nunes de Oliveira, se encontra com presidentes e executivos de associações comerciais da região.


  Por Redação Facesp 20 de Abril de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Dirigentes de associações comerciais do centro oeste paulista estiveram numa série de encontros regionalizados, discutindo problemas comuns de gestão e a grave situação econômica existente no País, diante dos desmandos governamentais. O vice presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Libânio Victor Nunes de Oliveira, esteve nas cidades de: Santa Cruz do Rio Pardo, Assis e Bastos, onde reuniu-se com dirigentes de outras associações comerciais próximas dessas cidades. “Foram os primeiros encontros do ano, e se tornarão frequentes, pois, quanto mais conversamos, melhores as ideias que passamos a ter para superar problemas comuns”, disse o dirigente muito satisfeito com os encontros realizados nas sedes dessas três associações comerciais da região.

Nos três encontros realizados o dirigente da Facesp procurou facilitar o acesso dos presidentes e diretores executivos de cada uma das entidades. “Quanto menos gastos eles tiverem, melhor”, defendeu o vice presidente da federação que prefere se deslocar até as cidades ao invés de reuni-los num único local. Na cidade de Assis, os representantes das cidades de: Quatá, Maracaí, Tarumã, Cândido Mota, Echaporã e Paraguaçu Paulista, estiveram discutindo questões dos registros de negativação junto ao SCPC que mudou com a nova lei estadual. Os dirigentes das cidades de Rinópolis, Parapuã, Tupã, Pompeia, Marília e Garça, que se reuniram na cidade de Bastos, além desses assuntos debateram alguns serviços em comum que necessitam de mais apoio da federação, enquanto que na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, estiveram reunidos os representantes das cidades de Bernardino de Campos, Ipaussu, Chavantes e Ourinhos, que além desses dois assuntos, ainda conversaram sobre os principais serviços oferecidos como SCPC, Certificação Digital e Junta Comercial.

Um assunto em comum entre os dirigentes regionais foi a grave situação econômica diante dos problemas políticos vivenciados no Governo Federal. Segundo Libânio Victor Nunes de Oliveira a reclamação é generalizada, principalmente nos pequenos centros comerciais onde o reflexo da economia estagnada é mais sentido. “Normalmente os grandes centros ainda contam com algumas alternativas, apesar de sofrerem também”, falou Libânio Victor Nunes de Oliveira. “Nas pequenas cidades, a monocultura e o comércio varejista sofrem mais e mais rápido”, completou ao lamentar o sufoco que o empresariado vem sofrendo. “O fechamento de lojas é o pior dos reflexos”, frisou ao ouvir este assunto como o pior dos problemas. “Essa é uma situação difícil de uma associação comercial reverter, pois, é algo bem particular e quanto chega neste ponto, nada dá para se fazer”, opinou.

A campanha envolvendo a Facesp, liderada pelo presidente da federação, Alencar Burti, foi um dos principais temas abordados entre os dirigentes das associações comerciais da região. “Estamos nos posicionando e marcando presença”, disse o vice presidente da Facesp na região. “Não podemos nos calar e precisamos cada vez mais falar mais alto, para que os políticos nos ouçam e façam alguma coisa”, explicou o dirigente que além de ser o vice presidente da Facesp é o atual presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília.