Acontece no Estado

Plano de Fortalecimento da rede Facesp terá início em março


A ideia é garantir condições estrutural e financeira para que as Associações Comerciais menores possam crescer. Na última terça-feira, 14/01, Alfredo Cotait, presidente da Facesp (dir.), e Natanael Miranda, superintendente-geral da entidade, definiram prioridades para o projeto


  Por Redação Facesp 15 de Janeiro de 2020 às 16:40

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O Plano de Fortalecimento (PFor) da rede de Associações Comerciais (ACs) terá início em março. Elaborado pela Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), o PFor vai oferecer condições econômicas e estruturais para que as ACs menores possam crescer e se desenvolver.

“Trata-se de um marco para a nossa rede e um mecanismo de fortalecimento do associativismo, por isso, é fundamental darmos celeridade à implantação”, destacou o presidente da Facesp, Alfredo Cotait Neto, que, na tarde de terça-feira (14/01), participou de uma reunião, por meio de uma videoconferência, com os vice-presidentes (VPs) da entidade.

O superintendente-geral da Facesp, Natanael Miranda dos Anjos, responsável pela elaboração do Plano, adiantou que, conforme previsto, será dado início ao processo de contratação dos agentes de desenvolvimento, que terão como missão auxiliar os executivos e os presidentes das ACs a melhorarem a gestão e a performance das entidades.

Duzentas e quarenta e cinco Associações, de um total de 400, são consideradas pequenas e, assim, contarão com o apoio do agente.

“Concomitantemente à seleção destes profissionais, estamos organizando as convenções regionais”, lembrou o superintendente-geral. Os eventos contam com palestras e ações de fomento e estímulo ao desenvolvimento das ACs.

As convenções, aliadas ao trabalho dos agentes de desenvolvimento, terão papel importante no processo de ampliação da competitividade.

Cinco macrorregiões, que comtemplam as 20 Regiões Administrativas (RAs) da Facesp, foram criadas. Nesta fase inicial, cada macrorregião receberá uma convenção.

A Federação vai oferecer os subsídios necessários para que a Associação Comercial de menor porte tenha total condições de se desenvolver, assim, a presença nestes encontros passa a ser uma contrapartida obrigatória.

As outras contrapartidas exigidas no PFor são: preenchimento da ferramenta de gestão PDO (Programa de Desenvolvimento Organizacional); estar adimplente com a Facesp e com a Boa Vista SCPC, e utilizar serviços da Boa Vista SCPC.

“Quanto mais melhorarmos a nossa performance na gestão, mais recursos teremos para investir por meio do PFor”, explicou Natanael. 

AVALIAÇÃO

O projeto de fortalecimento da rede de ACs foi enaltecido durante a reunião. Participaram do encontro o superintendente-geral; o deputado federal e vice-presidente da Federação, Marco Bertaiolli; os vice-presidentes de RAs: João Carlos Cheade - RA 19 Franca; Francisco Carlos Júlio Pinghera - RA 11 Ribeirão Preto; Antonio Carlos Parise - RA 14 São José do Rio Preto; e Ricardo Anderson Ribeiro - RA 17 Presidente Prudente; os coordenadores da Facesp: Marcelo Nunes, José Olival, Nelson Andujar e Natelma Miranda, além do presidente Cotait.

Bertaiolli avalia que Plano de Desenvolvimento chega com o aval de um “grupo de notáveis, que conhece como poucos o sistema de associativismo e sabe da importância de fortalecer e dar equilíbrio à rede”.

“É evidente que ajustes serão realizados conforme o amadurecimento natural, porém, a iniciativa do presidente Cotait e do superintendente Natanael é elogiável e reforça o compromisso da Facesp de representar e defender a classe que mais gera emprego e renda no Brasil, que são as micro e pequenas empresas”, ressaltou.

“O Plano de Fortalecimento possibilitará um salto de qualidade das Associações”, afirmou Parise.

Para Cheade, o PFor “foi muito bem feito”. “Da forma como ele foi distribuído, entidades de todo o Estado serão comtempladas”, disse.

“Este projeto possibilitará que a Facesp esteja presente em todos os locais de São Paulo. Onde houver um empreendedor, estaremos lá, defendendo e possibilitando que amplie seu negócio”, garantiu Pinghera.

Já Ricardo Anderson destacou que a iniciativa deve consolidar a força da Federação, “voltando a atuação às pequenas entidades”.

 

IMAGEM: divulgação/Facesp