Acontece no Estado

Pesquisa encomendada pela ACIF revela que 64% dos consumidores vão presentear neste Natal


Mulheres casadas, com idades entre 25 e 40 anos, que trabalham e possuem filhos estão no topo dos consumidores dispostos a comprar; 31,1% dos entrevistados usarão o 13º salário nas compras de fim de ano


  Por Redação Facesp 12 de Dezembro de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Uma pesquisa encomendada pela ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca), produzida pelo Ipes (Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais), do Uni-Facef, revelou que 64,52% dos entrevistados pretendem consumir neste Natal. O percentual está acima do verificado no mesmo período do ano anterior, quando 57,86% dos consumidores pretendiam realizar compras de fim de ano. 

“É um resultado positivo, pois enxergamos a retomada da confiança do consumidor e um crescimento de cerca de 10% para o comércio, para este ano. Quanto à pesquisa, os dados que apontam uma média de quatro presentes por consumidor e um ticket médio de compras de R$ 98,6 são animadores, além de importantes para que os lojistas se preparem para atender a essa demanda”, afirmou o gerente de negócios da ACIF, Wanderley Olivon Junior.”

De acordo com a apuração da pesquisa, neste ano, os consumidores mais dispostos a presentear são, em sua maioria: mulheres com idades entre 25 e 40 anos, casadas, trabalhadoras, da classe D, com Ensino Médio e cerca de 2 filhos; perfil verificado em 2015. 

“Mas, diferentemente do ano anterior, em 2016 essas mulheres darão preferências aos filhos/ netos no momento de presentear e não aos cônjuges. Os companheiros foram para o segundo lugar da lista sendo seguidos pelos pais e sobrinhos/afilhados”, disse a coordenadora do Ipes, Melissa Franchini Cavalcanti Bandos.

Quanto aos tipos de presentes mais procurados, as roupas ficaram em 1º lugar com 75,5% da intenção de compra (90,5% em 2015) seguida pelos brinquedos, com 44,16% (59,5% em 2015), calçados, com 26,78% (35,8% em 2015), e joias/bijuterias, com 13,11% (20,9% em 2015). “As variações nas porcentagens dos presentes mais procurados ocorreu em razão das múltiplas respostas. Se esse consumidor vai dar, em média, quatro presentes, pode ser que compre roupa para os pais, brinquedos para os filhos, calçados ou joias para o cônjuge”, explicou o pesquisador do Ipes Welton Silva. 

A pesquisa encomendada pela ACIF foi realizada entre os dias 14 e 20 de novembro em pontos de fluxo comercial nas regiões Norte, Sul, Leste, Central e no shopping. Foram ouvidas 544 pessoas com idades acima dos 16 anos e seu nível de confiança nos resultados é de 95%. 

Formas de pagamento e uso do 13º salário

O uso do 13º salário para a compra de presentes e a forma de pagamento foram outros fatores observados pela pesquisa. De acordo com os resultados, 31,1% dos consumidores irão empregar a renda extra de fim de ano na compra de presentes. Desses, 29,81% pretendem investir até 50% do 13º; 22,12% pretendem até 30%; 11,54% até 100% do salário extra e o restante se dilui entre fatias que vão de 10% a 90%. A média de uso do 13º salário será de 47, 64%

Quanto à forma de pagamento, 49% das pessoas afirmaram que pretendem realizar os pagamentos à vista no dinheiro ou cheque. 11,68% também pretendem pagar à vista, mas no cartão de débito. O cartão de crédito foi mencionado por 21,65% dos consumidores; 2,56% vão utilizar carnê e 0,57% cheques pré-datados. “Um fato curioso é que 14,53% desses consumidores afirmaram não saber a forma de pagamento que vão utilizar. No ano anterior, não tivemos nenhum entrevistado que não soubesse como faria para pagar suas compras. Pressupomos que o momento econômico vivido tem deixado as pessoas indecisas quanto ao pagamento à vista ou a prazo”, afirmou Welton.

Local de compra e antecipação de consumo

Segundo 61,54% dos consumidores de fim de ano, a compra antecipada de presentes é sua primeira opção para evitar, entre outros transtornos, filas e tumulto além de aproveitar descontos e encontrar o que deseja.  Ainda segundo os consumidores, descontos/preços (37,56%), variedade de produtos (19,58%) e bom atendimento (16,85%) estão no topo dos itens decisivos para a escolha do local de compra.