Acontece no Estado

Pela primeira vez no ano cresce o número de consultas ao SCPC em Marília


Associação Comercial e Industrial de Marília analisa os dados do SCPC no primeiro semestre de 2015


  Por FACESP 02 de Julho de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), mostram pela primeira vez, elevação no número de consultas, em comparativo com os primeiros seis meses do ano passado, principalmente no mês de junho, quando aponta um crescimento na ordem de 3,97% referente a junho de 2014. “Certamente o comerciante está mais precavido, diante da delicadeza da crise, não se pode errar no crediário”, disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira ao acreditar que o medo da inadimplência tem feito o comerciante consultar mais a situação do cliente. “De nada adianta vender, e não receber”, disse.

De acordo com os dados do SCPC da Acim, no mês de junho deste ano foram realizadas 30.778 consultas ao banco de dados do órgão consultivo do crediário em geral. No ano passado foram realizadas em junho 29.603 consultas sobre o CPF do consumidor, perfazendo os 3,97% de elevação nas consultas em 2015. No comparativo semestral, diante de cinco meses seguidos com queda, a média chegou a (-)4,43%. “Quanto mais o agravamento da crise, mais cuidado o lojista tem que ter para não ter uma inadimplência elevada”, ensinou ao observar as 173.459 consultas realizadas nos seis primeiros meses deste ano, diante da comparação com os seis meses do primeiro semestre do ano passado, que chegou a 181.502 consultas realizadas, com o índice médio de (-)4,43% no ano, até o momento.

O índice de consultas sobre os cheques também foi positivo no mês de junho, seguindo uma tendência natural as consultas aos dados de CPFs dos consumidores. “Não existe uma relação direta, mas sim uma demonstração de cuidado por parte do comerciante”, disse o superintendente da Acim, José Augusto Gomes, ao avaliar os números apresentados, já que nos últimos seis meses as consultas sobre os cheques chega a (-)6,34% e no mês de Junho a 2,26%. Até o mês passado foram 163.731 consultas sobre os cheques diante das 174.806 consultas realizadas nos primeiros seis meses do ano passado. “Este tipo de consulta é importante como forma de segurança ao receber cheques, afinal, as chances de haver problemas são menores”, comentou José Augusto Gomes.

Por outro lado as consultas jurídicas, ou seja, entre empresas, o índice continua em queda. O mês de junho registrou (-)6,33, perfazendo no acumulado nos seis meses iniciais do ano, uma queda de 12,08% em 2015. “Pode ser um sinal de que esteja havendo menos negócios entre as empresas”, arriscou o superintendente da Acim. “Ou que estejam menos intensos”, completou ao notar as 15.752 consultas realizadas sobre os CNPJs este ano dos 17.917 realizadas no ano passado. “Esse tipo de informação entre empresas é fundamental para o comerciante associado, pois, são informações detalhadas sobre as empresas com quem está negociando”, comentou José Augusto Gomes que considera este serviço muito bom entre empresas que estão promovendo qualquer tipo de negociação. “Saber para quem está vendendo produtos e serviços é uma informação valiosa”, sugeriu o dirigente mariliense.