Acontece no Estado

Para Facesp, Registro e Franca poderiam ter quarentena flexibilizada


Essas duas regiões do estado são as únicas na fase vermelha, a mais rigorosa do Plano São Paulo. Alfredo Cotait (foto), presidente da Facesp, vê condições para elas migrarem para a fase laranja


  Por Cleber Lazo  19 de Agosto de 2020 às 17:26

  | Repórter Facesp cleber.lazo@facesp.com.br


Durante reunião virtual do Comitê Empresarial Econômico, do Governo do Estado de São Paulo, que contou com a participação do governador João Doria, o presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alfredo Cotait, solicitou que as regiões de Registro e Franca saiam da fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo.

De acordo com Cotait, os investimentos estaduais nos sistemas de saúde de ambas as regiões, aliados aos protocolos sanitários a serem implementados pelo comércio e o trabalho de conscientização dos consumidores justificam a flexibilização.

“Franca e Registro são as únicas na fase vermelha em todo o Estado e estão sofrendo muito por isso. Elas têm condições de ingressarem, ao menos, à fase laranja, que permite a abertura do comércio de rua e, assim, amenizarem o impacto gerado nos negócios, sempre tendo como prioridade a manutenção da vida”, avaliou Cotait.

Segundo dados das Prefeituras da região de Registro, com data desta quarta-feira (19/08), 46% dos leitos estão ocupados. A região conta com 12,5 leitos covid-19 para cada 100 mil habitantes. O índice é melhor que os apresentados em outros Departamentos Regionais de Saúde (DRS), que estão na fase amarela.

Em Franca, o próprio governo estadual já apresentou motivos para a região sair da fase vermelha: a chegada de 12 novos respiradores na Santa Casa de Franca e a autorização para que novos leitos sejam abertos em cidades vizinhas.

“Muitas cidades da região, como Igarapava e Morro Agudo, estão recebendo respiradores para abertura de leitos, porém, contam com unidades de saúde menores e não têm equipes médicas e nem material humano”, alertou Cotait. “Assim, como forma de contribuir com o Plano São Paulo, sugerimos que Franca, que tem uma Santa Casa e já está recebendo e tratando as pessoas de toda região, recebam os equipamentos e os recursos do Estado”, ponderou o presidente da Facesp.

Além da solicitação durante a reunião do Comitê Empresarial Econômico, Cotait encaminhou um ofício ao governador. O documento pode ser conferido clicando aqui.

PEDIDO BEM RECEBIDO

O governador destacou que a Facesp é uma das entidades que mais tem contribuído com o Plano São Paulo e com a retomada econômica. Doria afirmou que todas as demandas apresentadas pela Federação são analisadas.

“Agradecemos ao presidente Cotait e à Facesp pelo empenho e pelo apoio contínuo ao Plano São Paulo”, afirmou o governador.

A secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, informou que o avanço nos indicadores e a ampliação de leitos são resultado do mapeamento de todo o Estado feito pela equipe de Saúde, o que possibilitou a utilização das redes particular e pública.

“Em Franca, dobramos a quantidade de leitos a cada 100 mil habitantes, saindo de 5 no começo da pandemia e indo para quase 10 agora. Em Registro, o sistema de saúde, inclusive do Litoral, como em Itanhaém, tem sido utilizado de forma regionalizada”, explicou Patrícia.

“A gestão da saúde e o controle da pandemia têm sido realizados e já tivemos resultados positivos, como ocorreu em Sorocaba e em Campinas, que estavam em situações bastante complicadas, e hoje passam por uma estabilização nos números e é esta estabilidade que buscamos em Franca e Registro”, disse a secretária.

A secretária ressaltou que uma das demandas apresentadas pela Facesp foi atendida nesta semana: a extensão do horário de funcionamento das atividades econômicas, de 6 para 8 horas.

 

IMAGEM: ACSP/divulgação





Publicidade






Publicidade





Publicidade