Acontece no Estado

Número de empresas cresceu 5% em Mogi das Cruzes no ano passado


Segundo a Associação Comercial da cidade, a redução da inadimplência e o aumento do emprego têm aquecido o consumo local, o que estimula investimentos na região


  Por Redação Facesp 28 de Janeiro de 2019 às 16:41

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Mogi das Cruzes contabilizou, em 2018, um acréscimo de 5% no número de negócios ativos. Foram abertas 2.005 novas empresas durante o último ano, segundo dados obtidos pela Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) com a Prefeitura Municipal.

Com isso, a atividade econômica em 2019 começa com um total de 41.918 estabelecimentos, distribuídos entre os setores de Indústria, Comércio, Financeiro, Serviços, Institucional, Produtores e Microempreendedor Individual (MEI).

A expectativa da ACMC, com o avanço no índice de confiança dos investidores, é que a Cidade continue a receber novos negócios em 2019.

“O consumo está melhorando, a inadimplência diminuiu e mais empregos foram criados. Esse conjunto de fatores contribui para os investimentos e Mogi tem, ainda, um grande potencial para crescer nos bairros. A abertura da Avenida das Orquídeas, entre Jundiapeba e Braz Cubas, também será um grande atrativo”, avalia Marco Zatsuga, presidente da Associação Comercial de Mogi das Cruzes.

PARA MARCO ZATSUGA, PRESIDENTE DA ACMC,
ABERTURA DA AVENIDA DAS ORQUÍDEAS ATRAIRÁ
MAIS INVESTIMENTOS

O dirigente ressalta que o crescimento de 5% registrado em 2018 indica que a crise econômica está ficando para trás e que o empreendedorismo continua sendo uma das grandes apostas da população.

Além de uma opção de carreira e de investimento, ter o seu próprio negócio também é a solução para quem perde o emprego. Um indicativo disso é o crescimento do número de MEIs na Cidade.

“Foi o setor que mais evoluiu em 2018, com 1.075 novos negócios. Isso representa um acréscimo de 14,23% em relação ao que se tinha no ano anterior”, destaca o presidente da ACMC ao pontuar que o MEI permite a formalização de pequenos negócios, com investimentos reduzidos.

De acordo com os dados disponibilizados pela Prefeitura, Mogi das Cruzes fechou 2018 com um total de 8.625 MEIs. O segundo setor que mais evoluiu foi o de indústria, com 6,8% de novos negócios.

Na sequência vieram Serviços (4,50%); Institucional (3,31%); Financeiro (2,80%); e Comércio (0,09%). O único setor com saldo negativo foi o de Produtores, que teve uma retração de 0,86% no número de empresas.

“O comércio é um dos últimos setores a sentir a recuperação da economia, por isso, o número de novos negócios foi tímido em 2018. Esperamos um crescimento mais acentuado do setor neste ano, mas, principalmente, a evolução do consumo para garantir a manutenção dos comércios existentes. Garantir que os comércios existentes permaneçam com as portas abertas é tão importante quanto ganhar novos negócios”, enfatiza o presidente Zatsuga.

O comércio é o segundo setor com o maior número de estabelecimentos ativos na Cidade. São 9.151 empreendimentos, responsáveis por absorver 22% da mão de obra formal de Mogi das Cruzes.

 

IMAGENS: Divulgação/ACMC