Acontece no Estado

No Dia do Consumidor, ACMC ressalta importância da boa relação entre comerciantes e clientes


Entidade aponta avanços nas relações comerciais e destaca potencial da data para movimentar os negócios


  Por Redação Facesp 15 de Março de 2017 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O Dia Mundial do Consumidor é comemorado nesta quarta-feira (dia 15) e a direção da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) destaca a importância da boa relação entre comerciantes e clientes. Além do incentivo ao consumo consciente e do cumprimento das normas que regulamentam as transações de negócios, a direção da entidade destaca o potencial da data também para movimentar as vendas.

O diretor de Eventos da ACMC, Silvio Moraes, ressalta que cada vez mais os comerciantes aproveitam a comemoração da data para impulsionar ações promocionais que incentivam as pessoas a consumirem. “Tanto é que as comemorações acabam se estendendo para a Semana do Consumidor. Muitos comércios promovem liquidações e investem na propaganda para atrair os clientes neste período, que não tem nenhuma outra data comemorativa forte”, diz.

Com cerca de 400 mil habitantes, Mogi das Cruzes está entre os 100 municípios brasileiros com maior potencial de consumo – na 54ª posição no ranking nacional (IPC Maps 2016) – e possui uma ampla rede de agronegócios, comércio, indústria, serviços e turismo. Todos esses setores envolvem a relação fornecedor/cliente, a qual precisa ser aprimorada sempre. “O bom atendimento é uma das principais ferramentas para enfrentar a concorrência no mercado e conquistar os consumidores, por isso, é fundamental que todos os fornecedores invistam no treinamento das suas equipes e no atendimento dispensado aos clientes”, orienta Moraes.

O diretor comenta que o advento do Código de Defesa do Consumidor, que no último dia 11 completou 26 anos desde que entrou em vigor, colocou mais transparência na relação entre fornecedor e cliente, estabelecendo regras sobre pontos polêmicos como preços, exposição de produtos em vitrine e trocas de mercadorias, entre outros. Moraes aponta, no entanto, que a conversa no balcão ainda é a melhor alternativa para solucionar conflitos e, principalmente, preservar as relações entre as partes envolvidas.

“O Código é uma ferramenta a mais à disposição do consumidor e também do fornecedor e, assim como o serviço do Procon, deve ser reservado a casos mais extremos. No dia a dia, a orientação é sempre tentar resolver um impasse de forma amigável até porque muitas vezes uma situação é criada não por maldade, mas por falta de treinamento de um funcionário. Coisas que podem ser resolvidas rapidamente”, pontua. “Conversar é sempre a melhor alternativa até porque o que precisa prevalecer é a relação de parceria. O comércio existe em função do consumidor que, por sua vez, consome porque há disponibilidade no comércio”, conclui o diretor da ACMC.