Acontece no Estado

Marketing é alternativa para fugir da crise econômica


Levantamento feito com 386 empresas aponta que 56% investem em ações de publicidade


  Por FACESP 24 de Agosto de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Um questionamento recorrente nos dias de hoje é a tentativa de descobrir como a população e todos os setores que sustentam a economia do Brasil estão enfrentando a crise econômica que atinge o país. A Associação Brasileira da Indústria, Equipamentos e Serviços para o Varejo (ABIESV) sanou essa dúvida, pelo menos sobre os empreendedores do ramo varejista.

Um levantamento, realizado com 386 empresas, detectou que o setor enfrenta a crise de consumo com investimento em ações de marketing e de publicidade. Participação em eventos, promoções e facilidades nas condições de pagamento foram as alternativas mais citadas, representando 56% dos executivos entrevistados.

“Esse resultado mostra que o setor não está paralisado. O investimento em marketing apontado pela pesquisa sinaliza que os empresários veem a crise como resultado da queda de confiança dos consumidores na economia, provocada por indicadores econômicos e pela crise política”, analisa o consultor Julio Takano, presidente da ABIESV.

Ainda de acordo com a pesquisa, apenas 4,8% dos entrevistados acreditam que demitir funcionários seja uma saída para combater a crise. “Isso mostra que as empresas ainda não estão vendo a demissão como uma solução para conter a retração”, acrescenta Takano.

Já sobre a expectativa de duração da crise, 40% dos entrevistados acreditam que a economia brasileira vai levar entre seis meses a um ano para sair da estagnação e voltar a crescer.

Para Adriana Flosi, presidente da Associação Comercial de Campinas, não só os varejistas, mas todos os empreendedores precisam ver a crise com outros olhos e encontrar as oportunidades que ela dá. “Sentar e esperar o país voltar a crescer está fora de cogitação. Os empresários precisam inovar e encontrar o caminho certo para seus negócios”, comenta.