Acontece no Estado

INDÚSTRIA - Setor reage de forma positiva, diz presidente da Acim


Libânio Victor Nunes de Oliveira, presidente da Acim, destaca a reação positiva do setor industrial


  Por Redação Facesp 24 de Junho de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Outro sinal de reação positiva na economia depois dos últimos acontecimentos políticos, foi quanto ao setor industrial, que passou a ter mais confiança por parte dos industriais, que atinge maior patamar desde fevereiro de 2015. Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Libânio Victor Nunes de Oliveira, a prévia de pesquisa da Fundação Getúlio Vargas revela que o crescimento em junho se deve às expectativas otimistas dos empresários do setor em relação aos próximos meses. “Isso quer dizer que estamos começando a retomar níveis produtivos”, disse animado o dirigente mariliense que considera importante a reação imediata do setor industrial, responsável por boa parte dos empregos existentes.

De acordo com o presidente da associação comercial de Marília a prévia do Índice de Confiança da Indústria apresentou alta de 3,9 pontos em junho deste ano, em relação ao resultado consolidado de maio. Com o crescimento, o resultado preliminar chegou a 83,1 pontos, em uma escala de 0 a 200 pontos, o maior patamar desde fevereiro de 2015. Os dados são da Fundação Getúlio Vargas. O principal motivo para o crescimento da prévia do índice foi o aumento do otimismo do empresário da indústria em relação aos próximos meses.

O Índice de Expectativas, que mede a confiança para o futuro, cresceu 7 pontos em relação ao resultado consolidado de maio e chegou a 85,2 pontos na prévia de junho. “Talvez o pior já tenha passado”, arriscou Libânio Victor Nunes de Oliveira que se preocupa com as ações do Ministério Público quanto a corrupção, que toda semana traz novidades surpreendentes, e dependendo do preso, influencia na economia. “Esse trabalho é digno de elogios, porém, causa surpresa quando descobrimos que a corrupção é generalizada e quem são os envolvidos”, opinou o dirigente mariliense ao lembrar que a confiança do empresário em relação ao momento presente, medida pelo Índice da Situação Atual, também cresceu, embora de forma mais moderada: 0,8 ponto em relação ao resultado de maio, chegando a 81,3 pontos.

O setor industrial é fundamental neste processo de recuperação da economia, em virtude de concentrar grande número de empregos, enquanto que o comércio pulveriza as vagas de trabalho. “A indústria reagindo com a produção, e a manutenção do emprego, já é algo importante neste processo”, opinou Libânio Victor Nunes de Oliveira que destaca a diversificação do setor industrial na cidade de Marília como algo importante para a economia local. “Temos o setor alimentício forte, a metalurgia forte, o têxtil forte, o químico forte, enfim, nossas indústrias são variáveis e por isso podemos superar esse momento sem crises agudas”, comentou o presidente da associação comercial mariliense ao citar ainda as atividades empresariais nas áreas da: agroindústria, educação, tecnologia e na prestação de serviços como sendo fortes na cidade o que ajuda no equilíbrio econômico local.