Acontece no Estado

Índice de Confiança do Consumidor sorocabano subiu 0,59 pontos no mês de junho de 2015


De acordo com a pesquisa, o segundo semestre de 2015 traz boas perspectivas aos consumidores, já que 26% acreditam em forte melhora


  Por FACESP 05 de Agosto de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 0,59 pontos em junho em relação a maio deste ano, passando de 125,16 para 125,75 pontos. Os dados foram divulgados no dia 28 de julho de 2015 pela empresa Esamc Junior e pela Associação Comercial de Sorocaba (ACSO). 

“O aumento é mínimo”, avalia o presidente da Esamc Junior, Rafael Muscari, “mas representa um alento para o momento de turbulência na economia. É um sinal de recuperação importante”. De acordo com a pesquisa, no âmbito de perspectivas futuras para a região, o segundo semestre de 2015 traz boas perspectivas aos consumidores, já que 26% acreditam em uma forte melhora. 

Já para 45% dos entrevistados, a economia continuará na mesma média, sendo que 29% esperam mais baixa nas atividades. “Há uma perspectiva de melhora se considerarmos o ciclo histórico no 2º semestre com o aquecimento das vendas de produtos infantis, roupas da nova estação, presentes, eletroeletrônicos e carros, provocados principalmente por datas comemorativas como o Dia dos Pais, o Dia das Crianças e o Natal.  

No quesito das finanças pessoais, o número de sorocabanos que consideram sua vida financeira acima da média é de 46%, enquanto 19% afirmam que vivem numa situação mediana e 35% se consideram em situação não satisfatória, por conta de demissões e/ou aceitação de novo posto de trabalho com salário menor. 

As perspectivas relativas à compra de bens e investimentos tiveram leve melhora em relação à última pesquisa. Tratando-se de bens duráveis, a população que se sente mais disposta a realizar esse tipo de investimento é de 29%, contra 71% que estão menos dispostos. 

A confiança no emprego na cidade de Sorocaba é alta comparada ao cenário brasileiro, uma vez que 49% dos nossos entrevistados estão completamente otimistas com seu emprego, contra 51% que se dizem “um pouco preocupados”. 

Quando o assunto é confiança no emprego, para os funcionários atuantes existe a perspectiva de que se manterão empregados, pois muito provavelmente os colaboradores que seriam descartados já o foram e a equipe se sente mais fortalecida.

CONCLUSÃO

O momento econômico gerou na população maior preocupação com a saúde financeira, o que pede mais atenção com os gastos, fazendo assim que se sintam mais confiantes com o seu real poder de compra. As famílias se baseiam em cálculos, analisando as contas já programadas, antes de comprometerem o orçamento com novas aquisições. 

NOTA

O ICC é aplicado para mensurar a expectativa da população sorocabana em relação a economia da região, com grau de confiança de 90% e amostra dirigida em todas regiões da cidade. A pesquisa tem como balizadores: emprego, situação econômica da região onde mora, situação financeira pessoal, capacidade de compra de bens necessários, duráveis, supérfluos e potencial de investimentos.