Acontece no Estado

Inadimplência em Mogi das Cruzes recua em setembro, mostra balanço do SCPC


Dados divulgados pela Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) apontam que a cidade tem quase 29 mil dívidas em aberto


  Por FACESP 07 de Outubro de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Depois da alta de agosto, a inadimplência voltou a recuar na cidade, segundo balanço do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). As inclusões de débitos em setembro retroagiram 19,56% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os dados divulgados nesta segunda-feira (5) pela Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) apontam que o Município possui quase 29 mil dívidas em aberto e mais de 21 mil consumidores com restrições de crédito.

No último mês, 950 dívidas foram incluídas no SCPC enquanto que, em setembro de 2014, foram 1.181. No acumulado dos nove meses do ano, 9.891 débitos passaram a constar na lista da inadimplência. No mesmo período do ano passado, foram 11.119 inclusões. Ou seja, em 2015 há um recuo de 11% neste indicador.

Quanto às exclusões, elas também recuaram em setembro último (-3,07%). Ao todo, 632 dívidas foram liquidadas, enquanto que no mesmo período do ano passado foram 652. Nos nove primeiros meses de 2015, 6.197 débitos foram quitados na Cidade. No período equivalente de 2014, foram 7.188. Portanto, o pagamento de dívidas diminuiu 13,78%.

“Se por um lado temos o fator positivo de que a inadimplência está diminuindo, mesmo com a atual situação econômica, o que mostra que as pessoas estão consumindo de forma mais consciente, tem o aspecto negativo que é o da dificuldade de quem está inadimplente liquidar suas dívidas. Essa redução nas exclusões está relacionada, entre outras coisas, com o aumento do desemprego”, analisa Marco Zatsuga, vice-presidente da ACMC e diretor do SCPC.

Com o objetivo de reduzir o volume de dívidas em aberto no comércio local, a Associação Comercial se prepara para oferecer um novo serviço no SCPC, que será a cobrança permanente dos débitos. A iniciativa está prevista para novembro e vai trabalhar com opções de pagamento parcelado das dívidas. 

“Recebemos, diariamente no SCPC, um grande volume de consumidores que vêm consultar sua condição de crédito. A nossa ideia é aproveitar esse público e já oferecer uma possibilidade para quitar a dívida e deixar a lista de inadimplentes”, ressalta Zatsuga.

Atualmente, a cidade possui 21.729 consumidores com restrição de crédito. As dívidas, por sua vez, somam 28.654 - uma mesma pessoa pode ter várias dívidas em estabelecimentos diferenciados. A inadimplência corresponde a R$ 13,6 milhões.