Acontece no Estado

Cotait: Associações Comerciais e prefeituras juntas contra a crise


O presidente da Facesp e da ACSP, Alfredo Cotait, participou de reunião, por videoconferência, com dirigentes das associações para discutir soluções para enfrentar as consequências do coronavírus na economia


  Por Redação Facesp 24 de Março de 2020 às 16:13

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Durante reunião por videoconferência, Alfredo Cotait Neto, presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), afirmou que as “Associações Comerciais precisam discutir com as Prefeituras soluções criativas para minimizar os impactos da crise, preservando os empregos e os negócios”.

“Os presidentes das Associações e os vice-presidentes da Facesp precisam manter um diálogo muito próximo com os prefeitos, porque as autoridades precisam de apoio e de boas ideias para enfrentar esta situação”, afirmou Cotait na reunião com os vice-presidentes das Regiões Administrativas (RAs) da Facesp.

Cotait ressaltou que a busca por medidas que combatam o coronavírus e suas consequências não são responsabilidade exclusiva de governo, mas de toda a sociedade. “As Associações são as legítimas representantes dos empreendedores, assim, se tornam pontos cruciais neste momento de medidas de exceção”, afirmou.

Na avaliação do presidente da Facesp, cada Associação precisa encontrar meios de minimizar os impactos econômicos locais. “Contem com o nosso apoio para que, juntos, possamos encontrar propostas que possam mitigar ao máximo esta crise econômica. Temos que proteger a saúde da população, mas sem deixar que a economia pare”, disse.

“O mesmo contato que as Associações Comerciais precisam ter com as prefeituras, nós, da Facesp, temos com o secretário estadual Henrique Meirelles (Fazenda) e com o ministro Paulo Guedes (Economia). Sugerimos, debatemos, avaliamos e acompanhamos todas as ações tomadas. Muitas delas contam com a nossa participação”, revelou Cotait.

O presidente adiantou que diversos pedidos, como a postergação e o parcelamento de impostos, a desburocratização de processos, a desoneração da folha e a flexibilização das leis trabalhistas já foram solicitados. Parte deles está em análise e algumas sugestões serviram de base para as ações já anunciadas.

“As autoridades governamentais estão empenhadas, mas estamos diante de algo novo, inédito. O poder público precisa de informações para que as tomadas de decisões, sempre difíceis, tenham o máximo de dados possíveis e é neste aspecto que entram a Facesp e as Associações Comerciais”, ressaltou.

 

IMAGEM: DC