Acontece no Estado

Consultas aos SCPC da Acim se mantém estáveis no ano


Sistema de consultas ao SCPC da Acim é bastante utilizado pelos comerciantes associados


  Por Redação Facesp 03 de Novembro de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O superintendente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, José Augusto Gomes, considerou estável o número de consultas ao banco de dados do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) local, que fechou o mês de setembro com 290.543 consultas realizadas nos 10 meses deste ano, apenas (-) 1,08% menor que igual período comparado com o ano passado que totalizou, nos mesmos 10 meses de 2015, 293.711 consultas. “Isto quer que as consultas continuam sendo realizadas pelos comerciantes como forma de se proteger da inadimplência”, comentou o dirigente ao considerar o acesso ao SCPC como uma das principais ferramentas cadastrais para a liberação de crédito. “Quanto mais informações o comerciante tiver para decidir o crediário, menos riscos ele correrá”, disse.

A surpresa do dirigente mariliense se deve ao fato de que a tendência natural é de queda nas consultas, diante do crescimento das vendas através dos cartões de crédito e benefícios, além das vendas com pagamento a vista em dinheiro ou através dos cartões de débito. “Nas vendas desta forma, não se utiliza a consulta ao banco de dados do SCPC da Acim, uma vez que a responsabilidade do pagamento para o comerciante passa a ser da empresa do cartão de crédito”, disse o dirigente que admite ser maior o movimento desse sistema automático. “Não tenho dúvidas de que para o consumidor é melhor, e para o comerciante, dependente da negociação com as empresas dos cartões de crédito, também”, falou.

De acordo com José Augusto Gomes a tendência para os meses de novembro e dezembro é de que aumente o número de consultas, afinal, existem dois períodos importantes para as vendas, com as campanhas no mês de novembro, com a promoção “Tempestade de Ofertas”, e no mês de dezembro com o “Natal”, o principal período de vendas. “Com o recebimento da primeira parcela do 13º salário, muitos consumidores aproveitam para saldarem boa parte das dívidas”, acredita o dirigente. “Normalmente ele retoma o crédito e o comerciante, com um volume maior no movimento da loja, necessita consultar para saber se o consumidor tem ou não condições de ter crédito, na compra pelo crediário”, explicou o superintendente da Acim.

O mês de junho deste ano foi o recorde no número da consulta dee 2016, com um aumento de 38,93% entre um ano para o outro, ficando o segundo melhor mês o de fevereiro, com 2,29% de aumento no comparativo. “Nos demais oito meses foram todos menores”, apontou José Augusto Gomes ao apontar o mês de agosto como o menor deles, com (-) 2,59% e o mês de abril como o maior deles com (-) 10,82%. “O importante é que o comerciante tenha a consciência de efetuar a consulta, que é rápida, prática e garantida, em todo o momento na venda pelo crediário”, orientou o dirigente mariliense ao lembrar que todas as consultas são nacionalizadas, ou seja, uma vez em débito no comércio brasileiro cadastrado no SCPC, a informação é disponibilizada em todo o País.