Acontece no Estado

Conselho da Mulher Empreendedora assume gestão da ONG S.O.S Mulher


A empresária Janaína Dias, presidente do CME, será empossada como presidente nesta sexta-feira, dia 29/05


  Por FACESP 27 de Maio de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Em assembleia que será realizada nesta sexta-feira, 29 de maio, às 19 horas na Câmara Municipal, o Conselho da Mulher Empreendedora (CME) assumirá a gestão administrativa da ONG S.O.S. Mulher de São José dos Campos. A empresária Janaína Dias, presidente do CME e mantenedora do Colégio Técnico Opção e da Escola Opção Kids, será empossada como presidente do S.O.S. Mulher. Isabel Mira, proprietária da Cosmos RH e integrante do CME, assumirá a vice-presidência da ONG.

O S.O.S. Mulher trabalha com mulheres em estado de vulnerabilidade social e fornece amparo social, psicológico e jurídico às mulheres. Visando contribuir com o crescimento da ONG, que já tem 30 anos de atividades na cidade, o conselho vê esta nova gestão como uma oportunidade de aumentar o amparo para demandas não só criminais. "Queremos ampliar o trabalho para outras formas de violência à mulher como assédio moral”, afirma Janaína Dias. Na assembleia desta semana também será colocado em votação um novo estatuto para a ONG com objetivo de aumentar a ação e a inter-locução do trabalho com a cidade. Uma das metas é continuar caminhando neste sentido e resgatar a mulher de forma integral, principalmente do ponto de vista social, fornecendo, por exemplo, ferramentas de inclusão produtiva.

Segundo a presidente do CME, Janaína Dias, o conselho tem um trabalho voltado à política de gênero e se envolveu em questões da ONG como a campanha que resultou na Vara Maria da Penha em São José dos Campos e posteriormente através do projeto ‘Ensinando a Pescar’, quando começou a trabalhar com as usuárias do S.O.S Mulher. “O CME se encontrou no contexto de violência doméstica nestes dois momentos. Somando nossa atuação na política de gênero, nosso foco no combate à violência, a inclusão produtiva e nosso acompanhamento na formação empresarial do terceiro setor, hoje o conselho encara esse desafio de contribuir nessa nova fase do S.O.S Mulher”, explicou a presidente.

Para Janaína, o primeiro objetivo é a capacitação das conselheiras sobre esse contexto e linguagem de violência, o qual elas precisarão aprender bastante. Outro ponto é a promoção da integração de serviços públicos e privados que possam não só tirar essa mulher de um contexto de violência, como devolvê-la a uma conjuntura social estável, segura e promissora.

Outras novidades são a criação de um chat online de atendimento e o reposicionamento da marca do S.O.S Mulher, que já está sendo discutido para trazer mais comunicação entre a ONG e a sociedade. O CME pretende ainda utilizar a experiência de gestão administrativa, financeira, de projetos, marketing e captação de recursos para conseguir cada vez mais parcerias.

Ao assumir essa gestão, a presidente do CME disse que isso é motivo de muita felicidade para todas as conselheiras. “A mulher tem que se sentir bem na ONG não pelo o que a levou até lá, mas pelas possibilidades que o S.O.S pode abrir na vida dela através de formação e direcionamento profissional. Elas precisam de uma abertura no mercado de trabalho, e promovendo isso a gente automaticamente contribui para a economia e qualidade de vida da cidade, pois está aumentando o mercado consumidor”, concluiu.