Acontece no Estado

Associação Comercial de Campinas recebe Miguel Reale Jr. para debater corrupção em empresas privadas


Tema que será discutido dia 22/09 ganhou força após investigações da Operação Lava Jato da Polícia Federal


  Por FACESP 17 de Setembro de 2015 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


A Associação Comercial de Campinas realiza na terça-feira, dia 22 de setembro de 2015, um encontro para discutir o papel do compliance na prevenção a desvios de conduta em empresas privadas, que possam resultar em casos de corrupção e comprometer a reputação e o desempenho das organizações. O evento, que ocorre gratuitamente no teatro Amil, tem como destaque a palestra do jurista e ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior.

Compliance é um conjunto de medidas ao qual as companhias recorrem para que seus administradores e funcionários cumpram normas legais, regulamentos, controles internos e códigos de ética nas atividades negociais com a finalidade de evitar ou corrigir irregularidades e desvios que possam culminar em casos de corrupção, como os que foram revelados recentemente nas operação Lava Jato da Polícia Federal.

A Lei Anticorrupção e as recentes operações da Polícia Federal compõem o cenário em que o jurista Miguel Reale Júnior, os advogados Agostinho Tavolaro, Arthur Pinto de Lemos Netto, Haroldo Cardella, o juiz titular da vara do júri de Campinas, José Henrique Torres e o sócio da Deloitte em Campinas, Edgar Jabbour, debatem os efeitos de desvio de conduta corporativa sobre a gestão de empresas.

Para a presidente da Associação, Adriana Flosi, o evento é uma grande oportunidade para as empresas perceberem que a corrupção, apesar de gerar lucro imediato, compromete o futuro do negócio. "Sabemos que o comportamento inadequado de algum funcionário pode comprometer toda a empresa, sua reputação e desempenho  no mercado. Por isso sentimos a necessidade de disseminar o compliance como forma de colaborar para que as empresas saibam como criar normas de conduta que mantenham toda a corporação dentro de um eixo ético. Recorremos a profissionais de destaque no mundo jurídico e empresarial para que esse evento seja uma contribuição profunda sobre o tema”, avalia.

GUIA FEDERAL

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) apresentou no mês passado uma versão preliminar do Guia para Programa de Compliance. O documento está disponível no site da autarquia para que o público envie sugestões sobre o seu conteúdo. O Cade realizará encontros para debater o tema com advogados, representantes de empresas e acadêmicos para, posteriormente, receber contribuições individuais da sociedade que podem ser encaminhadas pelo e-mail guiadecompliance@cade.gov.br até 18 de outubro de 2015.

O objetivo é estabelecer diretrizes para as empresas a respeito desse tipo de programa na esfera concorrencial, abordando sobre o que ele consiste, de que modo pode ser implementado e quais as vantagens em sua adoção. Trata-se de um guia de sugestões, que podem ser acatadas ou não conforme a realidade de cada companhia. A avaliação pelo Cade a respeito da adoção dessas regras ocorrerá nos casos concretos.

SERVIÇO: Compliance e Corrupção Privada

Data: 22 de setembro de 2015
Horário: das 8h30 às 10h45
Local: Teatro Amil - Dom Pedro Shopping

Inscrição obrigatória e gratuita: atendimento@acic.bz ou (19) 2104-9200