Acontece no Estado

Após ligeira recuperação, nível de emprego volta a cair na indústria do Alto Tietê


Pesquisa do CIESP aponta para 150 demissões em novembro/2016 e empresas caminham para fechar o ano com redução de mais de 5 mil postos de trabalho


  Por Redação Facesp 19 de Dezembro de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O nível de emprego industrial no Alto Tietê voltou a ficar negativo em novembro, após uma ligeira recuperação em outubro. Pesquisa do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo – CIESP, divulgada nesta quinta-feira (15/12), mostra que o último mês terminou com uma variação de -0,26%, o que significou uma queda de aproximadamente 150 postos de trabalho nas empresas em atividade nas oito cidades que compõem a Região. 

No ano, o nível de emprego industrial do Alto Tietê é de -8,36%, o que corresponde a aproximadamente 5.300 postos de trabalho fechados entre janeiro e novembro. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -9,89%, representando cerca de 6.400 demissões.

“Basicamente, a indústria demitiu em novembro a mesma proporção que tinha contratado em outubro, ou seja, as 150 vagas abertas foram fechadas no intervalo de um mês. Isso deixa bem claro que a esperada recuperação ainda não aconteceu para a indústria do Alto Tietê e que a expectativa de uma reação no final do ano não se concretizou. Devemos fechar 2016 com mais de cinco mil demissões e um recuo de 9% na atividade das empresas”, avaliou José Francisco Caseiro, diretor do CIESP Alto Tietê. 

“Só esperamos ter fôlego para entrar 2017 e para aguardar por medidas que possam realmente alterar o quadro atual”, acrescentou o dirigente ao listar pontos como a redução dos juros, corte nos gastos públicos e reforma trabalhista.

Em novembro/2016, o Alto Tietê ficou com a oitava posição no nível de emprego industrial no Estado, sendo que 30 das 35 diretorias regionais registraram variação negativa no mês. O desempenho da Região, no entanto, foi melhor do que o do Estado, onde o índice de emprego foi de -1,14%.

“O problema não é a Região. A indústria brasileira está passando por um período crítico”, pontuou Caseiro.

O nível de emprego industrial na Diretoria CIESP Alto Tietê no mês de novembro/2016 foi influenciado pelas variações negativas de Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (-1,07%); Produtos de Borracha e de Material Plástico (-0,97%); Produtos Químicos (- 0,59%) e Celulose, Papel e Produtos de Papel (-0,41%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do indicador total da Região. 

A tabela abaixo mostra o comportamento setorial dos meses de novembro de 2015 e 2016 e os acumulados no ano e em 12 meses.

Quando comparados os meses de novembro dos anos de 2015 e 2016, temos um cenário melhor, pois em novembro de 2015 o resultado foi negativo em 1,84%. 

O gráfico abaixo mostra os resultados comparativos da Diretoria Regional dos meses de novembro nos anos de 2005 a 2016.

O gráfico abaixo mostra o desempenho das variações mensais da Diretoria Regional no período de novembro/2014 a novembro/2016.

 

 

 






Publicidade


Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade