Acontece no Estado

ACMC lamenta morte de ex-presidente


Airton Nogueira, presidente do Sincomércio será sepultado hoje. Ele presidiu a Associação Comercial de Mogi das Cruzes na década de 80 e era grande parceiro da entidade


  Por Redação Facesp 19 de Dezembro de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


A diretoria da Associação Comercial de Mogi das Cruzes (ACMC) lamenta a perda de seu ex-presidente Airton Nogueira, que faleceu na última sexta-feira (16 de dezembro) e será sepultado neste sábado, às 17 horas, no cemitério São Salvador. Grande liderança, sempre defendeu os interesses do comércio e se destacou também pelo trabalho social.

Airton Nogueira foi presidente da ACMC na década de 80 e, como presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), continuou sendo sempre um grande parceiro da entidade nas ações em prol do comércio local.

“Perdemos um grande líder. Pessoa íntegra, sincera e preocupada com o desenvolvimento da nossa cidade, sem contar o seu envolvimento social e religioso, principalmente na Festa do Divino, que mostra sua preocupação também com as tradições locais. Mesmo durante o seu período de luta contra a doença, se preocupava em saber como caminhavam as coisas e sempre esteve junto da Associação Comercial. Sem dúvida, o comércio perde muito com a sua partida”, ressalta Tânia Fukusen Varjão, presidente da ACMC.

A dirigente destaca as parcerias do presidente do Sincomércio com a ACMC nas campanhas das principais datas comemorativas e eventos que visam estimular os negócios e o empreendedorismo. As entidades também sempre foram parceiras em ações pontuais, como o acompanhamento das obras da Praça Sacadura Cabral e o questionamento aos candidatos a prefeito sobre os planos deles para a Cidade.

Em 2014, a ACMC prestou uma homenagem aos seus ex-presidentes (na foto, o segundo da esquerda para a direita) no Prêmio Empreendedor do Ano e, na ocasião, Airton Nogueira destacou a importância da entidade para o setor empresarial.
“Estamos perdendo uma liderança, mas principalmente, um amigo”, conclui Tânia.