Acontece no Estado

Acim elogia criação do Parque Tecnológico de Marília


Iniciativa atrairá empresas dos segmentos de alimentação, metalurgia, eletroeletrônica e TI


  Por FACESP 12 de Janeiro de 2016 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O presidente da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, Libânio Victor Nunes de Oliveira, elogiou a iniciativa da Prefeitura de Marília e da Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação, pelo credenciamento do Centro de Inovação Tecnológica e da Incubadora de Empresas de Marília, junto a Rede Paulista de Incubadoras de Empresas de Base Tecnológica (Rpitec), para a implantação do Parque Tecnológico em Marília. “Um importante passo dado em direção ao crescimento e desenvolvimento deste segmento empresarial na cidade”, disse o dirigente mariliense que encaminhou oficio ao Prefeito Vinicius Camarinha, elogiando a atitude. 

Para o presidente da Acim com a criação do Parque Tecnológico muitas empresas dos segmentos de alimentação, metalurgia, eletroeletrônica e tecnologia da informação, serão agregadas a este segmento promissor em todos os sentidos. “Marília não tem uma dependência de um único segmento produtivo”, recordou o presidente da associação comercial ao destacar a metalurgia, o setor alimentício, têxtil e químico, como algumas das principais iniciativas industriais da cidade. “Com este parque tecnológico haverá um estímulo nas economias baseadas no conhecimento por meio da integração da pesquisa científica e tecnológica”, falou ao destacar a iniciativa do Centro Universitário Eurípides de Marília (Univem), outro incentivador a criação do parque ao lado da Acim.

De acordo com Libânio Victor Nunes de Oliveira as empresas na área de tecnologia crescem em quantidade e qualidade, tanto que a Asserti foi constituída dentro da associação comercial, diante do interesse dos empresários do ramo quererem se organizar melhor. “Não tenho dúvidas de que nossa cidade é referência nacional na área da tecnologia da informação, e tem a crescer muito, principalmente na contra mão da crise econômica imposta pelo Governo Federal”, disse o dirigente ao elogiar a performance do representante da Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação (Asserti), Elvio Fusco e do secretário municipal, Cássio Luiz Pinto Junior, da Secretaria de Desenvolvimento e Econômico e Turismo.

Com o credenciamento ao Rpitec, segundo Libânio Victor Nunes de Oliveira, isto facilitará aos empresário deste setor, em desenvolverem novas técnicas para melhorar a produção da indústria local e nacional. “Vamos exportar tecnologia”, acredita o presidente da associação comercial de Marília que formou comitiva com representantes da prefeitura e do Univem, junto ao governo do Estado, solicitando este credenciamento. “Com a parceria com o Governo do Estado será possível inscrever projetos que visam o desenvolvimento tecnológico das empresas e solicitar verbas estaduais”, lembrou o dirigente mariliense.

Os primeiros resultados do Parque Tecnológico, segundo o presidente da Acim, foram quanto a Lei Municipal de incentivo fiscal, sancionada pelo prefeito, que reduz a alíquota de ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) de 5% para 2%; área compatível para a implantação do parque, que está localizada em Lácio, onde também será construído o IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) e a Fatec (Faculdade de Tecnologia). “Isso atrairá mais empresas para a nossa cidade, bem como movimentará nossa economia local”, afirmou Libânio Victor Nunes de Oliveira.