Acontece no Estado

Acim convoca os beneficiados da Acim-Med para decisões


João Gonçalves, coordenador da Acim-Med, apresentará a real situação dos planos de saúde disponibilizados pela Acim


  Por Redação Facesp 20 de Junho de 2016 às 00:00

  | Das equipes de comunicação de entidades membros da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


Os beneficiados dos planos de saúde disponibilizados na Associação Comercial e Industrial (ACI) de Marília, por parte da Unimed-Marília, estão sendo convocados para uma assembleia geral extraordinária, para o dia 21 de junho, terça-feira, as 19 horas (com qualquer número), na sede da entidade associativa, no auditório com entrada pela rua Prudente de Moraes, 345, quando serão discutidos detalhes sobre o reajuste anual da mensalidade dos planos de saúde Acim-Med 1 Empresário e Acim-Med 2 comerciário, que estão em vigência no período de 01 de maio de 2016 a 30 de abril de 2017. “Precisamos discutir esse detalhe, que da última vez foi bem detalhado e demorou muito um acordo”, recordou o presidente da associação comercial, Libânio Victor Nunes de Oliveira, que considera importante a presença da maioria.

De acordo com o coordenador da Acim-Med, na associação comercial, João Gonçalves, a assembleia é necessária, pois, os reajustes são minuciosos e existem casos e casos que precisam de uma avaliação individual em alguns casos. “A assembleia trata de todos os casos de forma genérica”, recordou. “Mas cada um sabe como lidar com os planos de saúde que são bem diferenciados em razão da idade e de algumas particularidades”, disse o dirigente em tom de preocupação, em razão da demora de um acordo no ano passado. “Queremos evitar transtornos para ambos os lados, mas compreendemos que a Anvisa (órgão regulador do Governo), dificulta um pouco”, admitiu o dirigente mariliense da Acim que é responsável pela atividade há mais de 20 anos.

Outro assunto a ser discutido entre os beneficiados aos planos de saúde disponibilizados pela Unimed-Marília através da Acim, será quanto as consultas excedentes (rateio do ano de 2015) e também a questão da reserva financeira estratégica. “Não será permitia aos beneficiados se fazerem representar por procurador”, lembrou João Gonçalves sobre os direitos dos associados que são intransferíveis, salvo por procuração pública ou contratual. “Dai a importância do pessoal participar de forma ativa, para que possamos tomar as medidas decididas pela maioria”, recordou o coordenador da Acim-Med ao reforçar que a assembleia é soberana e a decisão é irrevogável, obrigando os ausentes a cumprirem as deliberações, por isso, a importância da presença dos envolvidos.

Edital neste sentido foi publicado dia oito de junho, dentro do que rege o Estatuto da Acim, e que vem sendo responsável pela condução dos trabalhos neste sentido. “Há mais de 20 anos temos esta parceria entre a Acim e a Unimed de Marília, e sempre conseguimos chegar num acordo, e desta vez, não será diferente”, falou João Gonçalves. “Vez ou outra demora um pouco, mas sempre encontramos um termo de consenso e acredito que não será diferente desta vez”, falou o coordenador que levará os detalhes do último acordo, bem como a realidade atual para ser analisada entre os beneficiados que são mais de duas mil pessoas envolvidas, que decidirão a forma de condução dos planos.