Acontece no Estado

ACIF entrega ao deputado Roberto Engler carta endereçada ao governador


Empresários de 20 cidades da região de Franca manifestam posição contrária à instalação de novos pedágios


  Por FACESP 18 de Fevereiro de 2016 às 00:00

  | Informações da Federação das Associações Comerciais do Estado de S.Paulo


O presidente da ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca) Dorival Mourão Filho se reuniu na manhã do dia 5, com assessores do deputado estadual Roberto Engler (PSDB) para entregar uma carta aberta ao governador Geraldo Alckmin na qual manifesta sua oposição à instalação de novos pedágios na região.

Além de Franca, o ofício representa ainda a classe empresarial de 19 associações comerciais da RA-19 – Região Administrativa da Facesp (Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado de São Paulo): Altinópolis, Aramina, Barretos, Batatais, Buritizal, Colina, Guaíra, Guará, Igarapava, Ipuã, Ituverava, Miguelópolis, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Pedregulho, Sales Oliveira, São José da Bela Vista e São Joaquim da Barra.

O vice-presidente da RA-19 e também da ACIF é o empresário José Alexandre Carmo Jorge.
O presidente da Câmara Municipal de Franca Marco Garcia (PSDB), que também é contra a instalação de mais pedágios na região, participou da reunião e recebeu uma cópia da carta.


 
A CARTA

Carta Aberta ao Governador
Manifesto contra a instalação de Novas Praças de Pedágio na Região
Ao Exmo. Sr. Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin,

As associações empresariais que integram a RA-19 - Região Administrativa da Facesp (Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado de São Paulo), representando o empresariado dos municípios de Franca, Altinópolis, Aramina, Barretos, Batatais, Buritizal, Colina, Guaíra, Guará, Igarapava, Ipuã, Ituverava, Miguelópolis, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Pedregulho, Sales Oliveira, São José da Bela Vista e São Joaquim da Barra vêm expor à V.Ex.ª as razões de sua posição contrária à instalação de novas praças de pedágio na região, atualmente em fase de estudos pela Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo).

Este posicionamento se faz necessário em virtude da grande preocupação com as consequências desta medida que, se implantada, certamente trará prejuízos à nossa região, onerando ainda mais o setor produtivo, afetando diretamente sua capacidade competitiva e atingindo a sociedade como um todo.

A cobrança dos novos pedágios incidirá sobre toda a produção local, tanto na vinda de matérias primas para a região, quanto na remessa dos produtos acabados aos grandes centros consumidores do país.

Ressaltamos que nossa região já se encontra ilhada por rodovias pedagiadas, atingindo indiscriminadamente o trânsito de pessoas e cargas.

Lembramos que o nordeste paulista não conta com vias de acesso alternativas como ferrovias, navegação fluvial ou linhas aéreas, em quantidade ou qualidade suficientes para atender a demanda, ficando assim dependente do transporte rodoviário.

Ao se instalar as novas praças de pedágio, a circulação entre as cidades vizinhas também será diretamente afetada, atingindo duramente o arranjo produtivo local, incluindo produtores rurais, indústria, comércio, serviços, turismo, profissionais liberais, estudantes e a população em geral.

Por fim, acreditamos que o momento é extremamente inoportuno para novas onerações ao setor produtivo, uma vez que o país atravessa uma grave crise econômica e política e assiste estarrecido a classe política discutir e, em alguns casos, aprovar a criação de novos impostos setoriais ou gerais, em vez de propor medidas para a contenção de desperdícios ou o aprimoramento dos serviços públicos.

Assim sendo, nosso pleito a este governador - que em mais de uma oportunidade manifestou ter sensibilidade política, ao reduzir impostos estaduais e incentivar a produção e o emprego - é que agora dê uma nova demonstração de que está, de fato, ao lado daqueles que também têm em seus corações os ideais da ordem, do progresso e da busca pela justiça social.

Respeitosamente,

José Alexandre Carmo Jorge                                              
Vice-presidente da RA-19 da Facesp
Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo

Dorival Mourão Filho
Presidente da ACIF
Associação do Comércio e Indústria de Franca