Vida e Estilo

Há 50 anos, Edifício Itália mantém a majestade


Um dos símbolos de São Paulo com sua vista espetacular, o arranha–céu homenageia a forte presença italiana na capital paulista


  Por Ansa 12 de Dezembro de 2015 às 13:53

  | Informações fornecidas pela Agência Italiana de Notícias



Na famosa esquina das avenidas Ipiranga e São Luís, no centro velho da cidade de São Paulo, um dos maiores e mais importantes pontos turísticos da capital paulista completa 50 anos: o Edifício Itália.
 
Inaugurado em 1965, após quase cinco anos de construção, o segundo prédio mais alto de São Paulo chama atenção de paulistas e turistas pela sua arquitetura modernista, pela sua localização e, sem dúvidas, pelos seus 156 metros de altura.
 
Patrimônio Histórico da metrópole, o edifício conta com 46 andares, 52 mil metros de área construída e uma capacidade para aproximadamente 25 mil pessoas. Com sua fachada icônica, que possui 4 mil janelas, o local é um ótimo exemplo da arquitetura modernista, trazida para a maior capital brasileira na década de 1960.
 

Atualmente, além de sediar o Circolo Italiano - associação que representa os interesses italianos e que recebeu e acolheu os primeiros imigrantes provenientes do país europeu -, o edifício também abriga a Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, Indústria e Agricultura (Italcam), um teatro, uma galeria de arte e vários escritórios.
 
No entanto, o maior destaque do local é o famoso Terraço Itália, um dos mais famosos restaurantes da capital, especializado em comida italiana e dono de uma das vistas mais incríveis da cidade, com um panorama 360° onde se pode ver quase toda a metrópole.
 
A história do prédio começa bem antes da sua construção. Em 1911, o Circolo Italiano foi criado e, poucos anos depois, em 1923, foi construída, no terreno onde hoje se encontra o Edifício Itália, uma pequena sede, que começou a ganhar cada vez mais força e importância. Já em 1960, foi decidido que deveria ser criada uma sede maior para a entidade. Com projeto do arquiteto Franz Heep, foi brilhante o resultado obtido.
 
"Foi decidido erguer um edifício que, na época, era um desafio da engenharia, com todos os andares planejados. E quando ficou pronto este arranha-céu muito bonito, ele passou a representar a genialidade e a criatividade italianas", afirmou o presidente da Italcam, Edoardo Pollastri.
 
O edifício, que agora abriga diversos escritórios, depois de 50 anos continua recebendo italianos. "Do meio-dia às três da tarde, o prédio fica cheio de brasileiros de origem italiana ou de italianos que participam da vida social do Circolo Italiano", explicou Pollastri.
 
E por isso, ainda hoje o ponto turístico paulista pode ser considerado um símbolo da comunidade italiana na cidade. "O Edifício Itália representa, obviamente, um dos marcos da imigração italiana", disse o vereador Andrea Matarazzo, cuja família ajudou a modernizar São Paulo e é um exemplo da imigração italiana na capital.
 
"Eu acho o máximo o Edifício Itália ter se transformado em um ícone em vários sentidos porque mostra a importância que a imigração italiana teve na formação da cidade de São Paulo. Ele está a altura da influência que os italianos tiveram na formação da nossa cultura e da nossa sociedade", enfatizou Matarazzo.
 
"Eu acredito que o Edifício Itália representa para São Paulo um marco muito importante da presença italiana na cidade, no Brasil em geral, mas em São Paulo em particular. Justamente como dizia Ciccillo Matarazzo, 'se o Brasil é filho de Portugal, São Paulo é filha da Itália", concluiu Pollastri. 


Imagem:ThinkStock