São Paulo, 25 de Setembro de 2016

/ Tecnologia

Smartphone não precisa ser caro para ser bom
Imprimir

Não seja seduzido pela tentação dos celulares top de linha. Há aparelhos de alta qualidade que não arrebentam o orçamento de ninguém

É provável que você esteja comprando mais celulares do que precisa, e em breve, se sentirá tentado novamente a comprar um novo aparelho.  

O Mobile World Congress, evento da indústria do segmento móvel, anunciará em Barcelona, na Espanha, entre os dias 2 e 5 de março, uma série de celulares fantásticos com uma resolução de tela inédita até hoje, processadores mais potentes, câmeras que rivalizam com os modelos profissionais e novos designs atraentes. 

Em qualquer loja da AT&T, T-Mobile, Verizon ou Sprint, uma seleção de aparelhos pequenos e altamente sofisticados vão seduzi-lo na hora da sua escolha: em primeiro lugar, o iPhone mais recente, ou o mais novo Samsung Galaxy, e depois também, quem sabe, o que há de mais moderno em aparelhos da HTC ou LG. 

Seja como for, os fabricantes querem deixar claro que não importa o aparelho que você escolha, certamente será o que há de mais novo.

Mas, será que você precisa mesmo dessas novidades? Para muita gente, esses telefones top de linha, com preços a partir de US$ 600 sem nenhum plano contratado, estão distantes do seu poder aquisitivo e são desnecessários. Há inúmeros aparelhos versáteis e que não arrebentam o orçamento de ninguém, e se você estiver disposto a considerar um modelo do ano passado, poderá até conseguir um aparelho de marca muito boa a um preço mais acessível.   
 
Além disso, um telefone mais barato não requer necessariamente que você faça tantas concessões quanto talvez imagine. Como há muitos fabricantes de olho nos mercados emergentes da Índia e da China, entre outros, há um grande empenho por parte das empresas em produzir aparelhos de alta qualidade a preços menos extravagantes.

 

MOTO E: UMA OPÇÃO PARA QUEM QUER UM APARELHO DE ALTA QUALIDADE A UM PREÇO ACESSÌVEL 

 

OS BONS E BARATOS 

A Microsoft — cujos aparelhos da linha Lumia foram comprados da Nokia — e a Motorola trabalham com uma estratégia que se pauta, sobretudo, pela produção de aparelhos mais em conta. Essas empresas oferecem atualmente telefones a preços baixos e com muitas das mesmas características que você encontrará nos aparelhos mais sofisticados. 

"Bilhões de pessoas ainda usam aparelhos simples ou smartphones realmente muito ruins", disse Steve Sinclair, responsável pela área de marketing dos aparelhos da Motorola. "Elas dependem da internet móvel diariamente. Não se trata de modo algum de um luxo. É uma necessidade. Para nós, é uma oportunidade."

No final de fevereiro, a Motorola apresentou a segunda geração do seu Moto E, um aparelho com preços acessíveis — a partir de US$ 120, sem novo contrato. É um modelo que suporta velocidade de dados de 3G apenas, portanto a navegação na internet e a reprodução de vídeos em streaming serão mais lentos do que nas redes de 4G da nova geração. (Velocidades mais altas nem sempre estão disponíveis nos países em que o Moto E e seus congêneres são campeões de vendas).

No entanto, por US$ 150 é possível comprar um modelo 4G que conta com muitos dos recursos de software de um aparelho mais sofisticado da Motorola, como o Moto X, e também com um processador rápido, o Lollipop, última versão do Android, além de um conjunto de acessórios que permite personalizar o telefone.

A Motorola teve ainda um sucesso inesperado com uma opção melhorada, porém barata, do Moto G, também disponível em versão 3G, por US$ 180 sem contrato (somente nos EUA pela AT&T e T-Mobile). O modelo 4G custa US$ 180 com contrato.Gosto do design arredondado do Moto G, da sua interface Android enxuta e de sua tela impressionante, embora o modelo 4G não seja o mais em conta do mercado. 

Por menos dinheiro — US$ 70 e sem contrato (não é incrível?) — e maior velocidade de dados, o Nokia Lumia 635 é uma opção de primeira linha. O aparelho roda com o sistema operacional Windows Phone, um sistema móvel pouco conhecido de muita gente, mas que tem inúmeras vantagens: é atraente, fácil de personalizar e de aprender a usar para quem é novo no mundo dos smartphones. 

O Lumia 635 é, sem dúvida alguma, um aparelho barato. A resolução da tela não é uma maravilha, e a câmera também não, mas o mesmo se pode dizer do Moto E e do Moto G. No entanto, se um aparelho simples atende às suas necessidades, ou se você estiver substituindo um aparelho quebrado, ou está comprando um modelo para um adolescente ou para alguém que esteja dando os primeiros passos nesse mundo, qualquer uma dessas opções estará de bom tamanho. 

 

LG G2 FOI LANÇADO EM 2013, NO ENTANTO, CONTINUA SENDO UMA BOA OPÇÃO DE COMPRA

OS CELULARES ANTIGOS OU USADOS 

Contudo, há quem queira ter a experiência do modelo top de linha, e para essas pessoas há também aparelhos com preços menos exorbitantes. Se você está pensando em assinar contrato com uma nova operadora, ou tem a opção de atualizar seu aparelho, recomendo sem pensar duas vezes que você passe batido pelo modelo top deste ano e dê preferência ao modelo do ano passado.   

O Samsung Galaxy S4, o Moto X, o HTC One M7, bem como o LG G2 e o LG G3 — todos eles excelentes, potentes e altamente satisfatórios — são oferecidos gratuitamente, ou a preços módicos, nos novos contratos da maior parte das operadoras americanas. Há também rumores de que novos aparelhos serão anunciados no Mobile World Congress, portanto você encontrará em breve modelos ainda mais novos nas prateleiras. 

Nem mesmo o iPhone está fora de alcance. Um iPhone 5 pode ser adquirido mediante contrato em qualquer operadora por cerca de US$ 100, e o colorido iPhone 5C, outra boa escolha para adolescentes ou novatos nesse mundo, sai de graça. Achei ainda o iPhone 4S à venda em sites como o Best Buy por cerca de US$ 100 sem contrato. (Vou confessar uma coisa: o iPhone 4S continua a ser meu iPhone preferido).

É claro que você pode comprar também modelos mais antigos diretamente de sites como eBay ou Swappa, que avaliam e aprovam todos os aparelhos eletrônicos que vendem. 
Faz parte desse processo a verificação do número de série eletrônico do telefone, ou ESN (na sigla em inglês), em bancos de dados online para se certificar de que o aparelho não se encontra em alguma lista negra — isto é, se consta como roubado, por exemplo — com que operadoras ele é compatível  e qual a sua faixa de preço. 

Se você está pensando em comprar um aparelho usado de um site como o Craigslist ou eBay, você pode usar o site do Swappa e verificar por conta própria o ESN — é um bom conselho para quem quer adquirir um telefone usado. 
Você também pode comprar de outras fontes confiáveis: AT&T, Verizon e Sprint oferecem o equivalente a um programa de aparelho usado com certificado, em que o telefone é submetido a um checklist de qualidade. Além disso, o cliente tem um período de 14 dias para devolução.

 

KOGAN É UM SMARTPHONE BARATO PRODUZIDO NA AUSTRÁLIA

 

MODELOS ALTERNATIVOS 

É claro que você também poderá barganhar, mas para isso terá de se aventurar. Veja, por exemplo, o caso do OnePlus One, um smartphone Android chinês atraente, rápido e potente que custa só US$ 300 e, sob quase todos os aspectos, rivaliza com os grandes concorrentes em praticamente todas as áreas, exceto, talvez, pela câmera. 

É o caso também do australiano Kogan Agora 4G, um smartphone potente e completo com sistema operacional Android e que custa pouco mais de US$ 200. A crítica mais dura feita a ele também se deve à qualidade da câmera, mas se essa não for sua preocupação principal, o Agora 4G vale muito a pena.

É evidente que a combinação de qualquer um desses aparelhos com um plano pré-pago mais barato pode ser a cereja do bolo. Se você não precisa de muitos dados — talvez porque navegue pela internet, assista a vídeos e use o e-mail em casa ou recorra a uma rede wi-fi para trabalhar— é possível que você esteja pagando um valor muito alto pelo seu plano. 

Em se tratando de eletroeletrônicos, estamos sempre tentados a querer o que há de mais novo, mais incrível e top de linha. Às vezes, porém, é melhor ignorar a publicidade e fazer uma compra um pouco mais inteligente. Não faltará oportunidade para você comprar, quando quiser, aquele aparelho mais recente, mais sensacional e sofisticado.



Em tempos de recessão, o varejo precisa adotar estratégias para não sacrificar o valor dos produtos que comercializa

comentários

Índice Fipe Buscapé mostra uma desaceleração da inflação no setor nos últimos meses, depois de pico de 11% no início de 2016

comentários

Após o desapontamento dos consumidores e investidores, a marca de Steve Jobs aposta na nova edição do iPhone e do Apple Watch (foto). Os lançamentos chegam nos primeiros países em 16 de setembro. O Brasil não está na lista.

comentários