São Paulo, 29 de Março de 2017

/ Tecnologia

Quanto menos páginas melhor
Imprimir

Lojas online investem em novas tecnologias para facilitar as compras e evitar o abandono de carrinhos

A empresa paranaense Pro Tork se orgulha de dizer que é uma das maiores produtoras de motopeças da América Latina e uma das gigantes na produção de capacetes – diariamente são 13 mil unidades. 

Fundada em 1988, os negócios começaram com a produção de peça de reposição para motocicletas importadas. Hoje, a empresa tem mais de seis mil itens no seu catálogo e exporta para 56 países. 

Recentemente, a Pro Tork decidiu expandir sua área de atuação e criou um e-commerce para vender alguns de seus produtos. Assim surgiu a loja online Sportbay, que comercializa artigos para quem pratica esportes radicais, como roupas especiais e mochilas. A maior parte dos clientes da loja são motociclistas que praticam uma modalidade chamada off-road. 

 “A empresa decidiu criar um canal de venda direta para os consumidor final”, afirma Jayme Pian, CEO da Sportbay.

Os negócios de vendas online iam bem, mas muitos clientes reclamavam porque o site aceitava apenas um meio de pagamento. A aprovação das compras eram feitas diretamente com a operadora e havia apenas uma adquirente. 

“Era muito ruim porque havia falhas e frequentemente a conexão caia o que impedia que os clientes conseguissem finalizar suas compras”, diz Pian. 

Há nove meses atrás, a Sportbay decidiu contratar uma empresa especializada em tecnologia de meios pagamentos para melhorar esses resultados. “Recuperação nas vendas chegou a RS 100 mil”, afirma Jayme. 

LEIA MAIS: As novas táticas do comércio eletrônico para segurar os clientes

ABANDONO DE CARRINHOS 

Assim como a Sportbay, muitos pequenos e médios e-commerces têm procurado empresas especializadas nesse tipo de serviço para aumentar suas taxas de conversões. 

As lojas online no Brasil estão num período de crescimento – a média é de 20% ao ano. Em 2015, mesmo com a crise, o faturamento dos e-commerces no país deve chegar a mais de R$ 43 bilhões, de acordo com as projeções da E-Bit.

Mesmo com números tão expressivos, a taxa de abandono de carrinho ainda é alta, podendo chegar a 80% em alguns setores. Os motivos são vários, como problemas na conexão, alto preço do frete ou falta de informações sobre os produtos. 

Um dos motivos para a desistência é também a insegurança. O medo de ser vítima de fraude e ter o seu cartão clonado durante uma compra na internet ainda é uma das principais barreiras do comércio eletrônico. 

O receio dos clientes cresce à medida que o número de páginas para finalizar a compra aumenta – se o site pede muitas informações ou se existem diversas etapas para concluir a compra, a taxa de conversão tende a ser menor.  Por isso uma das regras das lojas online é: quanto menos páginas melhor.

Guilherne Pizzini, da MundiPagg: "Conseguimos aumentar as aprovações das compras" 

AS SOLUÇÕES DE PAGAMENTO

Existem diversas empresas que oferecem soluções de pagamento para  e-commerces, a escolhida pela Sportbay foi a MundiPagg.  Ela foi fundada em 2012 pelos ex-funcionários da Braspag, uma empresa que atua no mesmo setor e que foi comprada pelo grupo Cielo. 

Eles utilizaram todo o conhecimento e experiência para formar o novo negócio. A Mundipagg percebeu que apenas 70% das compras feitas em e-commerces eram aprovadas pelas companhias responsáveis pelas transações. Nos Estados Unidos, o número é de 92%.  “Existe um atraso na tecnologia utilizada pelas adquirentes no Brasil, a maior parte delas tem problemas com a estabilidade das conexões e acabam reprovando compras que poderiam ser autorizadas”, afirma Guilherme Pizzini, diretor comercial da MundiPagg. 

O trabalho da empresa é intermediar a relação entre os clientes e os e-commerces. Quando o consumidor tenta realizar uma compra na loja virtual, a Mundipagg entra em ação para fazer a validação com uma adquirente. Se a transação é reprovada é feita uma nova tentativa com uma segunda adquirente. Tudo isso em questão de alguns segundos.
  
“O tempo é fundamental para as lojas online porque com apenas alguns cliques o cliente pode pesquisar os preços de uma concorrente e efetuar a compra”, afima Pizzini. 

Dessa forma, a MundiPagg consegue aumentar as aprovações em 16%. A empresa também tem outras ferramentas que ajudam a tornar as compras no ambiente online mais simples. É famosos “comprar com um clique”, ou seja, o processo de compra é finalizado na mesma página. 

A ideia é desburocratizar as compras online e evitar que os consumidores fujam antes de efetuar a compra. Somada as diversas ferramentas tecnologias de pagamento disponíveis no mercado, como as tentativas de aprovação, pagamento em um clique e a divisão do valor total da compra em multimeios de pagamento, os e-commercers conseguem aumentar a taxa de conversão em até 25%. 



As lojas online brasileiras fecharam 2016 com faturamento de R$ 44,4 bilhões, o que representa um crescimento nominal de 7,4%

comentários

Pagamento sem cartão, abrigo de ônibus inteligente e voo de asa delta sem sair do lugar. Conheça as novidades que apareceram na Campus Party

comentários

Na semana do Natal, indicador da Mastercard apontou retração de 4,6% sobre o desempenho do consumo na semana do feriado em 2015

comentários