São Paulo, 26 de Maio de 2017

/ Tecnologia

Facebook vai agir contra notícias falsas
Imprimir

A rede social irá limitar a difusão de notícias duvidosas por meio de marcações dos próprios usuários. Jornalistas trabalharão na checagem

O Facebook lançou uma plano para combater as notícias falsas que circulam pela rede social

A medida vem na sequência de várias acusações de que a disseminação das chamadas "fake news" interferiram no resultado das eleições norte-americanas.

A rede de Mark Zuckerberg irá limitar a difusão de notícias duvidosas por meio de marcações dos próprios usuários, os quais terão a opção de informar o site caso considerem que a notícia não seja verdadeira.

Ao mesmo tempo, o Facebook terá o auxílio de um software que individualizará as "fake news" para serem verificadas por jornalistas.

As notícias falsas aparecerão, então, com um símbolo de "contestada após verificação de terceiros".

O sistema do site ainda modificará seu algoritmo para evitar que esse tipo de matéria se espalhe rapidamente entre os usuários e ainda questionará o internauta se ele tem certeza que quer ler a informação completa.

Na operação de de fact checking, estão jornalistas de empresas como a ABC News, Politifact, FactCheck e Snopes.

Para ser considerada falsa, uma notícia terá que ser contestada por dois membros diferentes do grupo de analistas.

IMAGEM: Thinkstock



Tudo se inicia com um convite para a página privada e secreta deste grupo “#F57” no Facebook. A partir de então, o que parece um jogo inocente, torna-se macabro e mortal

comentários

Séries como Star Treck e os romances futuristas de Julio Verne inspiraram muitos dos empreendedores que estão mudando o mundo com inovação disruptiva. O dono da Amazon é um deles

comentários

Na décima posição do ranking da internet.org, o Brasil, porém, está melhor colocado do que países muito populosos que aparecem no topo do ranking de desconectados, como Índia e China

comentários