São Paulo, 27 de Setembro de 2016

/ Tecnologia

Conheça os produtos que mostram como o futuro está chegando
Imprimir

Um drone fotógrafo acionado por controle remoto. Um óculos de realidade virtual. Um tradutor de voz instantâneo. Eis as engenhocas recém-lançadas que fazem sucesso. Por Farhad Manjoo

Vários produtos tecnológicos fantásticos são lançados todos os anos, mas, geralmente, apenas alguns se destacam. Estes poucos, porém, são quase sempre fascinantes — eles mudam nossa perspectiva em relação ao que será possível no futuro. Em 2014, quatro desses produtos me chamaram a atenção:

INSPIRE 1, DA DJI Imagine controlar uma libélula inteligente que grava tudo o que vê. É mais ou menos isso que você sentirá ao pilotar o Inspire 1, um quadricóptero acionado por controle remoto lançado no outono do ano passado pela fabricante de drones DJI. A máquina, cujo preço gira em torno de US$ 3.000, é ágil e possante no ar e oferece vários recursos incomuns. A câmera de alta definição acoplada ao aparelho está instalada a poucos centímetros abaixo do seu corpo, permitindo-lhe captar imagens sem nenhuma obstrução e em qualquer direção. O drone pode ser operado por meio de dois controles remotos — um para controlar o voo e outro para controlar a câmera.

Romeo Durscher, piloto de drone e funcionário da DJI, me passa o controle do Inspire 1 durante um voo de teste sobre a península de São Francisco pouco antes do Dia de Ação de Graças. Enquanto ele descrevia todos os usos sérios possíveis para a máquina — sobretudo para fotógrafos e operadores de câmera que há tempos sonham com uma alternativa barata aos helicópteros para o registro de imagens aéreas — senti que havia sido fisgado. É difícil imaginar um prazer tecnológico mais visceral do que uma máquina capaz de cortar o céu sob seu comando. Bem-vindo às fortes emoções da era do drone.    

CRESCENT BAY, DA OCULUS Em março de 2014, o Facebook anunciou que pagaria US$ 2 bilhões pela aquisição da Oculus, uma start-up cujo headset de realidade virtual tem gerado enorme interesse. Os avanços feitos pela empresa desde então consolidaram a lógica da aquisição: é cada vez maior o realismo da tecnologia de realidade virtual da Oculus. Um dos grandes problemas da realidade virtual é a sensação de enjoo provocado pelo movimento. Se vemos uma imagem que parece estar ligeiramente fora de sincronia com nossa percepção de movimento, sentimos um pouco de náusea. Em setembro de 2014, a Oculus apresentou seu protótipo mais recente, o Crescent Bay, que é capaz de rastrear os movimentos da cabeça do usuário num giro completo de 360º dando a impressão à pessoa de que ela foi imersa em uma imagem que, de acordo com os observadores, é de tirar o fôlego. Quando testei um protótipo anterior na Universidade de Stanford no outono do ano passado, juntamente com uma máquina de realidade virtual mais sofisticada, a sensação que tive foi basicamente a mesma. A realidade virtual parece simples distração até o momento em que a experimentamos. Aí você entende por que, no futuro, será possível escapar com frequência da realidade.

TRADUTOR SKYPE O tradutor universal capaz de superar qualquer barreira linguística é item obrigatório na ficção científica.  Agora, estamos quase chegando lá, pelo menos foi o que se pôde ver em uma demonstração limitada, mas mesmo assim muito impressionante. O Skype, serviço de chamada por vídeo da Microsoft de enorme sucesso, divulgou em dezembro passado uma versão prévia do Skype Translator, o tradutor da Skype, que traduz praticamente no mesmo instante um diálogo entre uma pessoa falando em inglês e outra em espanhol. É possível ligar para uma agente comercial no México e dizer “Hello”; ela responderá na outra ponta num tom de voz amigável parecida com a do Siri, “Hola”. 

Mas a coisa não fica por aí. Na demonstração feita pela Microsoft, estudantes da Cidade do México e de Tacoma, no estado de Washington, se entenderam tão bem que até jogaram um jogo de adivinhação. Depois de experimentar o protótipo, Peter Bright, redator na Ars Technica, disse que ele era de “tirar o fôlego”, e acrescentou: “É como se a ficção científica tivesse se tornado realidade.”

O Skype Translator é o produto de aprendizagem de máquina e de processamento da linguagem natural em que a Microsoft mais investe. Como processos desse tipo só melhoram à medida que um número maior de pessoas passam a empregá-los, serviços como o do Skype Translator só tendem a melhorar.

DESCRIÇÕES DE IMAGENS DO GOOGLE Em um campo verde totalmente aberto, alguns jovens de short e camiseta estão em pé, imóveis, mas posicionados de um modo que parecem estar em movimento; no ar, acima deles, vê-se uma pequena esfera branca, provavelmente de plástico, e que parece estar rodando. Como você descreveria essa cena em poucas palavras? Você, como se humano que é, provavelmente não precisaria mais do que alguns poucos segundos para bolar uma legenda: “Grupo de jovens jogando frisbee.”

Mas, se você fosse um computador e tivesse de traduzir em palavras essa imagem, teria de esperar muito tempo ainda até que isso fosse possível. Não mais. Em novembro de 2014, o Google apresentou os resultados de um projeto de inteligência artificial capaz de olhar para uma imagem composta de itens comuns e descrever, em inglês compreensível, o que vê à sua frente — muitas vezes, com uma precisão incrível. Diante de duas pizzas em cima de um fogão branco, a máquina não teve dúvida: “Duas pizzas em cima de um fogão.” Ela também se saiu bem quando teve de identificar um grupo de elefantes, um sujeito que pedalava uma bicicleta suja e milhares de outras imagens.

O sistema usa uma rede neural, um sistema de inteligência artificial que imita o cérebro humano e que o Google usou no passado para identificar gatos em vídeos do YouTube. O sistema, entretanto, ainda não é perfeito. Quando lhe mostraram uma placa de sinalização de estrada coberta de adesivos, o computador informou que tinha visto “uma geladeira cheia de muita comida e bebida”. 

 



O impacto da paralisação nos resultados é cada vez menor, por causa da digitalização das transações, via computadores e do celulares

comentários

Após o desapontamento dos consumidores e investidores, a marca de Steve Jobs aposta na nova edição do iPhone e do Apple Watch (foto). Os lançamentos chegam nos primeiros países em 16 de setembro. O Brasil não está na lista.

comentários

Novas tecnologias possibilitam detectar o comportamento dos consumidores para viabilizar ações de marketing e comunicação

comentários