Tecnologia

Como o Waze está ajudando o varejo a vender mais


O Depósito Zona Sul (na foto), loja de material de construção, ganhou visibilidade no aplicativo e aumentou a clientela


  Por Thais Ferreira 11 de Setembro de 2017 às 13:00

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


Em uma cidade com dimensões gigantescas, como é o caso de São Paulo, fazer um pequeno ou médio negócio sobressair-se no meio de uma multidão de ofertas não é tarefa fácil.  

Em junho de 2014, Luiz Augusto Barbosa, dono do Depósito Zona Sul, uma das muitas lojas de construção da cidade, localizada no bairro Jardim Marajoara, decidiu testar uma nova ferramenta para se destacar perante a concorrência.

Na época, o Waze, aplicativo que ajuda os motoristas a se locomoverem pelo trânsito das cidades, estava se tornando popular no Brasil. E aos poucos, foi subsistindo os aparelhos de GPS.

Barbosa entrou na plataforma do App para literalmente colocar na sua empresa no mapa.

Pelo valor mensal de pouco mais de R$ 180, ele marcou o endereço de sua loja e passou a ter mais visibilidade nas buscas realizadas dentro do aplicativo.

Ou seja, com o auxílio dessa ferramenta, os usuários podem ver a localização do Depósito Zona Sul sempre que estiverem pela região. E, com apenas um clique, conseguem ter as coordenadas para se dirigir até o endereço. 

Nesses três anos, em que Barbosa utiliza a plataforma, ele está satisfeito como resultado.

Em julho passado, por exemplo, o anúncio da empresa foi visualizado por mais de 50 mil pessoas.

No mesmo período, a loja apareceu mais de sete mil vezes nos resultados das buscas dentro do aplicativo e mais 250 usuários clicaram no anúncio ou navegaram até o local. Os dados foram extraídos do relatório gerado pelo próprio Waze para o comerciante.

Assim como Barbosa, alguns pequenos e médios comerciantes já perceberam que o Waze pode ser uma ferramenta importante na captura de clientes.

Afinal, o sonho de qualquer comerciante ou empresário é abordar o cliente no momento exato em que ele está precisando de seu produto ou serviço.

Depósito Zona Sul na busca do Waze

FACHADA ESTENDIDA

A internet facilitou muito a escolha do “momento ideal”.

Hoje, é possível saber quando uma pessoa está interessada em comprar tênis novos, por exemplo.

As informações podem ser adquiridas com base nas pesquisas realizadas no Google e nos anúncios clicados nas redes sociais.

Essa identificação das vontades dos clientes é bastante efetiva para os e-commerces, uma vez que o cliente pode realizar a compra em apenas alguns cliques.  

Mas o aplicativo do Waze promete um formato de anúncio que favorece o varejo físico: abordar o cliente no momento em que ele se desloca pela cidade.

Ao abrir o aplicativo, que utiliza geolocalização, o usuário consegue visualizar no mapa diversos pontos comerciais que estão em sua rota.

“É o que chamamos de fachada estendida”, afirma André Loureiro, diretor-geral de publicidade do Waze no Brasil. “Ou seja, enquanto uma fachada convencional é visível para os motoristas apenas poucos metros dos estabelecimentos, a visibilidade da empresa no Waze pode chegar a um raio de 1 a 3 quilômetros”.

Graças a essa evidência no aplicativo, Barbosa conquistou novos consumidores: “Alguns clientes já me contaram que estavam a caminho de outras lojas na região, mas visualizaram o Depósito Zona Sul no Waze e, como era mais perto, mudaram a rota”, afirma.  

Para as empresas que estão dispostas a investirem mais dinheiro em propaganda dentro do aplicativo, o Waze oferece outras opções. Há, por exemplo, um banner que aparece na tela do celular quando o carro permanece parado durante alguns segundos.

Nesse caso, a empresa não estipula um valor fixo para anúncio. “Avaliamos o porte do negócio e o tipo do anúncio”, diz Fernando Belfort, responsável do Waze Local no Brasil, plataforma de anúncios da empresa.

ERA DA INFORMAÇÃO

Com os dados gerados pelos usuários, a empresa também consegue oferecer um dos serviços mais precisos: a informação.  

No Dias dos Pais de 2016, o Waze analisou as rotas que antecederam a data e perceberam um aumento nas idas ao shopping na sexta-feira – o crescimento das navegações chegou a 21%.

O aplicativo também detectou que as buscas por lojas de artigos esportivos aumentaram mais de 70%. Já as idas para lojas de roupas cresceram em mais de 95%.  

Com essas informações em mãos, os comerciantes podem se preparar para as data comemorativas e entender o comportamento de compra dos clientes. As informações estão disponíveis no blog da empresa.

Por exemplo, no Dias dos Namorados, a busca por floriculturas cresceu 240% a mais do que nos dias convencionais. Já as lojas de moda feminina tiveram um aumento menor de 165%. Ou seja, os enamorados estavam mais dispostos a dar flores do que roupas.  

O potencial do Waze é enorme. Apenas em São Paulo, o aplicativo possui 3,5 milhões de usuários cadastrados. O Brasil é o segundo país onde mais se utiliza o App. Perde apenas para os Estados Unidos.

FOTOS: Divulgação