São Paulo, 25 de Junho de 2017

/ Tecnologia

A internet das coisas
Imprimir

No NRF Big Show, em Nova York (EUA), protótipos e produtos novíssimos colocam a tecnologia a favor do cotidiano

Em um dos cantos do enorme centro de convenções Jacob Javits, em Nova York (EUA), onde acontece a maior feira de varejo do mundo, o NRF Big Show, estão reunidas algumas invenções que não têm a ver com o comércio, mas que mesmo assim chamam a atenção de todos os visitantes. São protótipos ou produtos novíssimos que colocam tecnologia em alguns lugares insuspeitos, digamos assim. 

Confira a cobertura completa dos produtos apresentados no NRF Big Show

PETCHATZ

Todo mundo sente saudade do cachorro, mas os criadores do Petchatz provavelmente estavam pensando em casos patológicos de apego ao animal de estimação. O sistema é uma espécie de Skype para fazer videoconferência com seu bicho. O aparelho emite sons, mostra a imagem do dono numa pequena tela e transmite a imagem do cão para o dono. Não só isso: o Petchatz tem um compartimento especial que dispensa biscoitos caninos – à distância.

HAPIFORK

Google Glass e Apple Watch? Novidades da semana passada. O Hapi Fork avalia a frequência com que você leva o garfo à boca e vibra caso você esteja comendo muito rápido. As informações são enviadas por Bluetooth para seu smartphone, para que você acompanhe de perto seus hábitos alimentares. Melhor dizendo, para que você acompanhe "como" você come, pois se está carregando um suculento pedaço de bacon ou uma leve folha de alface até sua boca, o garfo não sabe. Ainda.

 SENSORIA SPORTS BRA

O sutiã esportivo Sensoria oferece uma solução criativa para as mulheres que gostam de treinar com um sensor de frequência cardíaca. Os eletrodos que estão integrado no próprio sutiã, basta apenas conectar um leitor de batimentos cardíacos compatível. 

SOCCKET II ENERGY BALL

A Soccket é uma bola de futebol diferente. O nome, uma mistura das palavras soccer (futebol) e socket (tomada), dá uma pista da ideia por trás do produto: a bola acumula energia ao ser chutada para lá e para cá. A ideia é que as crianças brinquem com ela e, depois, a bateria interna sirva para acender lâmpadas de LED, que são eficientes e exigem pouca energia para funcionar. A bola, criada pela Uncharted Play, é vendida por 99 dólares. Para cada bola vendida, uma é doada para populações de países pobres, sem acesso a energia elétrica.



O ataque em curso nesta quarta-feira (17/05) estaria relacionado ao "WannaCry", que afetou mais de 200 mil dispositivos em 150 países na sexta (12/05)

comentários

Para Carlos Carnevali Júnior (na foto), presidente do grupo IHC, o déficit na formação de profissionais, a instabilidade do real frente ao dólar e a rede de telecomunicações precária são algumas das razões que explicam o atraso

comentários

O Serviço Europeu de Polícia (Europol) informa que o mega ataque cibernético, iniciado na última sexta-feira (12), já fez mais de 200 mil vítimas em 150 países

comentários