São Paulo, 28 de Setembro de 2016

/ Opinião

UFA - União faz a força
Imprimir

Surge um conglomerado de cidadãos disposto a estudar em profundidade os atuais problemas nacionais e propor soluções

Os desmandos do governo petista, abrangendo a era Lula e Dilma, são tantos que o Brasil foi colocado numa rota de crises que se aprofundam. Falta ao petismo capacidade de aceitar seus erros e vontade de corrigir os rumos, por se tratar de um projeto de poder e não de governo.

A sociedade brasileira começou a reagir, e muitos movimentos sociais estão buscando mostrar aos governantes e políticos, e agindo para isso também, sua discordância em relação a tudo de errado que tem sido feito.

Está em andamento o UFA – A União Faz a Força -, um conjunto de movimentos sociais e grupos organizados de pessoas, interligados pelos mesmos princípios que defendem os valores democráticos liberais, e pretende contribuir para o aprimoramento institucional do Estado brasileiro.

O movimento não se conforma com a marcha do Brasil em direção ao precipício socialista; o descalabro do elevado custo de um Estado hipertrofiado; a corrupção desenfreada entre os detentores do poder; o roubo praticado por políticos contra o patrimônio das empresas estatais; a transferência do patrimônio dos brasileiros para outras nações; a provocada divisão do Brasil em classes caracterizadas pela cor da pele, a diferente origem étnica ou a diferença patrimonial; a insegurança resultante de um sistema legal que protege o delinquente em detrimento do cidadão e da própria vítima; um aparelho policial mal recrutado porque mal remunerado, compulsoriamente omisso e impedido de reagir ante o delito; um sistema judiciário levado à inutilidade pelo absurdo acumulo de recursos legais; um sistema penitenciário insuficiente para reprimir o ilícito; a impunidade como decorrência; o desestímulo à atividade empresarial que determina a queda do PIB, o desemprego e o déficit na balança de pagamentos; os sistemas de educação e saúde cronicamente deficitários; a deficiência dos meios de transporte ferroviário, marítimo, fluvial e lacustre; o fracasso do suprimento de água e energia elétrica à população.

É um fiel retrato da realidade da era Lula-Dilma no Brasil.

O UFA, de forma apartidária, vai contribuir para a elaboração de estudos relativos a cada uma dessas questões, em busca das mudanças desejadas para o Brasil.

Suas lideranças pertencem a diferentes organizações, movimentos e ações pessoais, sendo o núcleo originário ligado ao Instituto Liberal.

Quem tiver interesse em conhecer mais e melhor, pode entrar em contato com o e-mail foulevy@gmail.com.

OPOSIÇÃO

FHC foi à televisão no horário político do PSDB afirmar que tudo de errado que tem acontecido no Brasil nos últimos anos é culpa de Lula, do PT e Dilma. O diagnóstico hoje em dia todo mundo já sabe.

Falta ação oposicionista. No quadro atual brasileiro, fosse o PT oposição, e a situação estaria cercada e sem saída.

A oposição brasileira, incluindo FHC e PSDB, tem parte na responsabilidade de o o país ter desandado nesse período nefasto, na melhor das hipóteses, por omissão.

DESÂNIMO

Como o Congresso Nacional tira qualquer inspiração de amor à pátria.

Caramba, que falta de sintonia com os anseios nacionais.

Com o STF dominado pelo Executivo, um Legislativo com pauta própria para seus interesses exclusivos, e um Executivo absurdamente agindo contra os valores e interesses brasileiros, o que sobra?

Apoiar e participar de movimentos dentro da lei para buscar reverter isso tudo por meio da educação e do voto.

 



Ele disse desconhecer que os valores depositados em conta secreta do casal de marqueteiros eram relativos a dívida de campanha da presidente afastada Dilma Rousseff

comentários

Dá-se destaque, como se fosse notícia, ao desânimo de Lula. Enquanto isso, milhões de brasileiros buscam emprego

comentários

O ex-tesoureiro João Vaccari Netto pensa em delação premiada, enquanto José Dirceu propõe um inédito "acordo de leniência" para abrir os segredos do partido

comentários