São Paulo, 27 de Abril de 2017

/ Opinião

Riscos à vista
Imprimir

Se Brasília seguir governando para si mesma e os estados para suas lideranças anacrônicas, não é necessário bola de cristal para ver que o Brasil vai se transformar rapidamente num Espírito Santo

Brasília sempre foi tida numa espécie de folclore como a Ilha da Fantasia do Brasil. Tem sido assim há anos. Acentuou-se com o deslumbramento novo-rico do lulopetismo que dominou o poder por 13 anos, destroçando a moralidade pública e o tesouro nacional.

E, de algum modo, persiste na prática modorrenta, incabível, dos políticos de plantão, dos governantes e dos demais membros dos três poderes, de usar o Estado e máquina pública como propriedade particular e objeto de butim permanente.

Literalmente, a olhar-se para o Espírito Santo, o país pega fogo. Rio de Janeiro, Maranhão, Rio Grande do Norte,Sul, e outras unidades da Federação, são barris de pólvora prontos para explodir.

E a vida corrupta, maravilhosa, da fantasia em que vivem os donos do poder no país, segue sua lengalenga de auto aproveitamento de tudo, como se fosse outra nação. Deve ser aquilo que Lula tanto falava. ”eles” e “nós”.

O PT na oposição ajuda e quer que o circo pegue fogo em cima dos barris que eles, petistas, plantaram.

E quem assumiu, vindos todos das mesmas origens e vícios que predominam nas esferas de poder, não parecem entender, nem enxergar, que a fumaça e o fogo que a gera, chegarão até o Planalto Central.

Não é preciso adivinhação. É bom senso e experiência.

Se Brasília seguir governando para si mesma e os estados para suas lideranças anacrônicas –os que estão em crise- não é necessário bola de cristal para ver que o Brasil vai se transformar num Espírito Santo, rapidamente.

O atual comando do país, que conseguiu por vontade da maioria da população brasileira tirar legalmente o destruidor e desastroso PT do poder, está dando munição e espaço para que tumultuem o país, por trás do pano, recobrem bandeiras e critiquem o governo atual pelo que eles (petistas) causaram.

A questão é que para onde se olhe há nomes envolvidos em tudo e faltam lideranças com credibilidade. O País parece à deriva.

E o governo Temer deixa essa sensação no ar por falta de agilidade na tomada de decisões e na comunicação, com a população cada vez mais acuada. Vai voltar às ruas em breve.

Deus permita que não seja na forma de conflito, de enfrentamento.

********
As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio
 

 



No sistema político francês, muito mais rígido do que o britânico, um chefe de governo malsucedido na política externa e desacreditado em casa pode fazer um estrago bem maior, e não limitado apenas à França, sobre a qual agora pesam, sem a menor dúvida, maiores responsabilidades

comentários

O Departamento de Registro Empresarial e Integração (DREI), que substituiu o Departamento Nacional do Registro do Comércio em 2013, tem enorme importância no nosso sistema de registro público de empresa

comentários

Estou cansado dessa vanguarda do atraso que assaltou o país, foi pega com a mão na botija e ainda quer enforcar o xerife

comentários