São Paulo, 25 de Março de 2017

/ Negócios

Vendas do varejo paulistano crescem na primeira quinzena de março
Imprimir

Para Alencar Burti, presidente da ACSP, o resultado, ainda que preliminar, aponta para um arrefecimento da crise

O varejo da cidade de São Paulo registrou alta de 6,4% nas vendas da primeira quinzena de março, na comparação com os primeiros quinze dias de fevereiro. A informação é da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)

O destaque foram as vendas a prazo, que cresceram 15,9% no período. As promoções e parcelamentos alongados estão dando impulso às comercializações de bens duráveis, segundo Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

“As vendas a prazo subiram em função dos eletroportáteis, que têm sido muito procurados pelos consumidores em função de preços mais baixos em relação a eletrodomésticos, por exemplo. A prestação é menor – cabe no bolso. Inclusive redes varejistas estão fazendo promoções nessa categoria, acompanhando a tendência”, diz.

Já as vendas à vista ainda não engrenaram, registrando queda de 3,2%. Para Burti, o resultado negativo nesse segmento se deve ao término da moda Primavera-Verão. 
 
A média das vendas á vista e a prazo resulta nos 6,4% de alta.

Burti ressalta que esse número positivo não pode ser projetado para o resto do mês, já que na segunda quinzena de março de 2016 foi comemorada a Semana Santa – o feriado tradicionalmente derruba as vendas. Portanto, em decorrência dessa base fraca, a expectativa é de que o mês feche com queda menor do que essa da quinzena. 

Já na comparação entre a primeira quinzena de março deste ano e igual período de março de 2016, os dados da ACSP mostram recuo de 6,9% nas vendas. A queda, no entanto, foi menor do que a registrada em igual comparação do ano passado, quando as comercializações recuaram 8,9%.

“Os resultados permanecem abaixo do desempenho do ano passado, mas são quedas cada vez menos intensas, reforçando a tendência de estabilização e início de recuperação em 2017”, diz o presidente da ACSP.

IMAGEM: Thinkstock



Segmento de autopeças foi o único a crescer (4,5%) em volume de vendas, de acordo com levantamento da Associação Comercial de São Paulo

comentários

A projeção é do Instituto de Economia da ACSP com base em dados do IBGE e do Índice Nacional de Confiança (INC), pesquisa mensal da Associação Comercial de São Paulo

comentários

É o que aponta estudo da Deloitte em 17 países. Para Alencar Burti (foto), presidente da ACSP e da Facesp, projeto aprovado pela Câmara "vai ajudar o Brasil a sair desse quadro dramático de desemprego"

comentários