Negócios

Vendas do varejo caem 0,50% em agosto em relação a julho


No varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 0,10% durante o mesmo período


  Por Estadão Conteúdo 11 de Outubro de 2017 às 09:39

  | Agência de notícias do Grupo Estado


As vendas do comércio varejista caíram 0,50% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira (11/10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio abaixo da mediana das estimativas do mercado financeiro, positiva em 0,10%, e dentro do intervalo das previsões, de queda de 1,00% a alta de 0,90%.

Na comparação com agosto de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 3,6% em agosto de 2017. Nesse confronto, as projeções iam de uma expansão de 2,70% a 6,14%, com mediana positiva em 4,30%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 0,7% no ano e queda de 1,6% em 12 meses.

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), espera que o Banco Central dê continuidade à queda da taxa básica de juros.

Sobre uma recuperação completa do setor, avalia que o varejo vai demorar de dois a três anos para voltar aos níveis de 2013.

“Os dados demonstram que, quando comparado com o mesmo período de 2016, o comércio segue em recuperação - trata-se da quinta alta consecutiva. Refletem uma retomada moderada da economia, o que condiz também com o início de uma melhora da confiança do consumidor”, analisa Burti, que também preside a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Por outro lado, ele ressalta que “a crise política retarda o andamento das reformas econômicas, o que impede uma recuperação mais intensa”.

O presidente da ACSP chama a atenção para segmentos mais dependentes do crédito, como móveis, eletrodomésticos e veículos, que apresentaram grande crescimento em agosto sobre igual mês do ano passado.

“O crédito está ajudando, mas a base de comparação é muito fraca”. Nos últimos três anos, o varejo ampliado caiu 18%. 

Material de construção e veículos

No varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 0,10% em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal.

Na comparação com agosto de 2016, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado cresceram 7,6% em agosto de 2017. Nesse confronto, as projeções variavam de uma expansão de 6,60% a 10,88%, com mediana positiva em 8,75%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 1,9% no ano e redução de 1,6% em 12 meses.

FOTO: Thinkstock / *Atualizada às 15h50