Negócios

Produção industrial cresceu em 14 dos 24 ramos pesquisados em julho


A principal contribuição foi da produção de alimentos, que teve alta de 2,2%, de acordo com os dados do IBGE


  Por Estadão Conteúdo 05 de Setembro de 2017 às 10:30

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A produção industrial cresceu em 14 dos 24 ramos pesquisados na passagem de junho para julho, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Em julho, há perfil disseminado de taxas de crescimento", confirmou André Macedo, gerente na Coordenação de Indústria do IBGE.

A principal influência positiva foi registrada por produtos alimentícios, com avanço de 2,2%, a terceira expansão seguida, acumulando ganho de 8,7% nesse período. Segundo Macedo, a fabricação de açúcar puxou o resultado da indústria alimentícia no mês, mas o setor de carnes também ajudou no bom desempenho.

Outras contribuições positivas importantes sobre o total da indústria foram de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (1,9%), de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (5,9%), de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (4,8%) e de móveis (6,0%).

Na direção oposta, entre os dez ramos que reduziram a produção em julho ante junho, os desempenhos de maior relevância foram das indústrias extrativas (-1,5%), perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (-1,8%) e metalurgia (-2,1%).

NÍVEL DA PRODUÇÃO

O nível de produção da indústria brasileira alcançou em julho o ponto mais alto desde outubro de 2015. A linha de produção, entretanto, ainda roda em ritmo semelhante ao de março de 2009, ponderou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção avançou 0,8% na passagem de junho para julho, o melhor desempenho para o período desde 2014, quando tinha crescido 1,4%. O resultado representa o quarto mês consecutivo de alta, movimento que não ocorria desde abril a agosto de 2012. Nessa sequência de avanços, a produção acumula um ganho de 3,4%, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal.

"Você claramente tem uma melhora recente no ritmo de produção industrial, mas as perdas do passado ainda são muito significativas. A produção ainda está 17,2% abaixo do pico alcançado em junho de 2013", disse Macedo.

Na comparação com julho do ano anterior, a alta de 2,5% na produção foi o melhor resultado para o mês desde 2013, quando tinha crescido 3,4%."Claro que é comportamento positivo, mas o avanço se dá sobre uma base de comparação menor. A indústria tinha recuado 6,1% em julho de 2016", lembrou o pesquisador.

FOTO: Thinkstock