Negócios

Como identificar o que é moda ou tendência no mercado de alimentação


Nos últimos anos, os consumidores foram bombardeados com uma onda de novidades gastronômicas – muitas já passaram e outras vieram para ficar


  Por Mariana Missiaggia 13 de Setembro de 2017 às 13:00

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


O bolinho virou cupcake. O brigadeiro agora é gourmet. O pão torrado ascendeu para crouton.

Nos últimos anos, pratos populares passaram por uma verdadeira reciclagem para atrair os consumidores ao concorrido mercado de alimentação.

Tapioca, açaí, pudim, churros, orgânicos, coxinha, bolos da vovó estão entre as comidas da moda.

Tudo isso é monitorado de perto por Simone Galante, fundadora da Galunion, consultoria especializada em foodservice. De acordo com Simone, a multiplicação de pequenos negócios com apelo gourmet se explica pelo baixo investimento que a maioria  demanda.

Mas muitos fracassam antes mesmo de começarem a dar retorno. "A moda causa isso: empreendedores replicando a mesma ideia, nos mesmos espaços, para o mesmo público".

 

 

 

 

 

 

 

 

MODA X TENDÊNCIA

Simone diz que uma tendência chega aos poucos, como reflexo da mudança de um hábito do consumidor e, por isso, tem mais chance de se permanecer.

Já a moda surge repentinamente até atingir um pico de superoferta causando uma sensação de fastio nos consumidores.

Maria Brigadeiro - Há dez anos, a jornalista Juliana Motter transformou o brigadeiro em um negócio da moda. Ela foi uma das primeiras a apostar no doce ao abrir uma loja monotemática como sua principal fonte de renda.

Em poucos meses, a concorrência estourou. Cada marca com sua receita particular, para dar uma nova versão ao velho brigadeiro, com ingredientes importados e outros inusitados, como manjericão e queijo.

Juliana optou por aliar o clássico ao que havia de mais sofisticado em chocolates -ou, cacau, como ela prefere dizer.  Com o tempo a produção artesanal cresceu e a concorrência também.

Para oferecer um sabor exclusivo, Juliana deixou de lado o chocolate francês Valrhona como ingrediente principal. Começou a cultivar sua própria amêndoa do cacau, em uma fazenda na Bahia e montou uma fábrica de chocolate artesanal nos fundos do ateliê para abastecer exclusivamente a brigaderia.

Para Simone, a evolução da Maria Brigadeiro é um exemplo de tendência de mercado bem consolidada. O brigadeiro está entre os doces preferidos do brasileiro e a empresária conseguiu transformá-lo em algo autoral e de referência, que se sobrepôs à moda.  

REPOSICIONAMENTO

Paletas - A moda passou, o frio chegou e muitos negócios micaram. Boa parte de quem investiu na abertura de uma paleteria, em 2014, não foi bem-sucedido.

A Los Paleteros, primeira franquia do segmento, sobreviveu ao tempo, mas precisou se reformular. Das cem lojas abertas no auge do negócio, 47 permanecem abertas.

Uma das inovações foi investir em miniquiosques, que exigem investimento menor e são mais versáteis. A marca também passou a vender paletas no varejo (em supermercados, bancas de jornais e restaurantes) e possui cerca de 500 freezers espalhados pelo país.

Outra estratégia foi a criação da Sormetier, um novo modelo de sorveteria multimarcas, que tem como proposta vender a melhor paleta, o melhor gelato, o melhor sorvete de massa, o melhor picolé, o melhor sorvete saudável e por aí vai.

De acordo com Gean Chu, sócio-fundador da Los Paleteros, a estratégia faz parte do reposicionamento da marca, que investiu R$ 3 milhões na nova linha.

“O mercado (de paletas) saturou e sentimos isso fortemente em 2015. Por isso, deixamos de ser uma empresa monoproduto para explorar outros nichos”.

Os preços também foram reduzidos e agora variam de R$ 6,50 a R$ 9,90. Nas lojas tradicionais, que trabalham apenas com paletas, também ocorrem promoções diárias a R$ 5 – antes, os sorvetes eram vendidos por R$ 12 em média.

NOVAS TENDÊNCIAS

Assim como ocorre com algumas receitas, os ingredientes também passam pelo fenômeno moda x tendência de tempos em tempos. Batata doce, tapioca, frutas vermelhas, ovo e outros itens já tiveram seu momento de glória. Simone aponta o abacate como o queridinho do momento.

Visto inicialmente como uma fruta utilizada em preparos doces, o abacate está invadindo uma série de receitas, e até mesmo redes de fast food, como o McDonald´s.  

O que vem por aí:

O pokê é a principal aposta da consultora para a próxima temporada. A comida típica do Havaí já está fazendo o maior sucesso em Nova York e tem tudo para virar brilhar no próximo verão brasileiro.

Alguns endereços da cidade de São Paulo já oferecem o prato que mistura arroz e cubos de peixe cru com frutas e legumes. Será que vai ser moda ou é uma tendência?

*FOTOS: Thinkstock