Carros mais modernos e equipados. É o que querem os consumidores


A Fiat deixou o Palio de lado (19.º no ranking de vendas) e lança no fim do mês o Argo, para atacar HB20 e Onix, o líder de vendas (na foto)


  Por Estadão Conteúdo 22 de Maio de 2017 às 10:16

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O comportamento do consumidor mudou nos últimos anos. Em vez de carros "populares", como Gol e Palio, os líderes de venda agora são modelos mais modernos e bem equipados desde as versões de entrada. O mais vendido é o Onix, da Chevrolet, seguido pelo Hyundai HB20.

O Gol, embora ainda seja o número um da Volkswagen, oscila agora entre a quarta e quinta colocações do ranking.

Enquanto isso, o carro de passeio mais vendido da Fiat é o Mobi - 11.º colocado em emplacamentos.

Diante da nova preferência, a Fiat deixou o Palio de lado (19.º no ranking de vendas) e lança no fim do mês o Argo, para atacar HB20 e Onix.

Ele virá com amplo pacote de equipamentos e motores mais modernos. No caso da VW, o posto de carro de alto volume será do novo Polo, que chega neste ano. Ele será posicionado acima de Gol e deverá brigar com os líderes.

"A GM acertou com o Onix, pois o brasileiro não quer mais o mesmo tipo de carro popular dos anos 90", diz o consultor Paulo Garbossa, da ADK. "Já a Hyundai, com o HB20, entrou no Brasil oferecendo exatamente o que o consumidor quer."

A chegada da Hyundai, e o avanço dos modelos Etios e Corolla, criaram uma pulverização no mercado, segundo Garbossa.

A Toyota viu sua fatia do bolo automotivo crescer de 3,8% em 2007 para 9,0% este ano. O diretor da montadora, Ricardo Bastos, ressalta que a marca "cresce aos poucos e constantemente".

Para o diretor de Marketing da GM, Hermann Mahnke, entre os motivos da liderança da empresa está o pioneirismo em equipar compactos com tecnologias de conectividade e "popularizar a transmissão automática" nessa faixa de produto.

"O líder deixou de ser o carro mais barato para ser o que entrega mais ao consumidor, que ficou mais exigente", afirma. Ele não acredita, contudo, que o carro "popular" vai desaparecer.

Quando o mercado voltar a crescer, haverá espaço para todos, mas o segmento premium tende a ganhar mais presença, avalia Mahnke.

SUVs

Para brigar pelas primeiras posições do mercado, agora montadoras precisam também de utilitários-esportivos pequenos.

As vendas de SUVs saíram de 110 mil unidades em 2007 para 302 mil no ano passado, mesmo com a crise. A tendência é de continuidade de crescimento e a maioria das marcas tem lançamentos previstos.

GM, VW, Toyota e até mesmo Fiat estudam produção local de SUVs pequenos. Por alguns anos, as vendas foram dominadas pela Ford, com o EcoSport, primeiro carro nacional dessa categoria.

Com a chegada de concorrentes, o modelo perdeu espaço, mas, com o novo Ka, terceiro automóvel mais vendido, a marca tem conseguido manter sua fatia no mercado com poucas oscilações, entre 9% e 10%.

O vice-presidente da Ford, Rogelio Golfarb, acredita que o EcoSport, que em breve será renovado, continuará sendo "emblemático".

E aposta que, à medida que a economia melhorar, a renda voltará a crescer e o crédito será ampliado. "Com isso, o consumidor que hoje está excluído do mercado voltará a comprar carros de entrada."

FOTO: Divulgação/Chevrolet