São Paulo, 27 de Abril de 2017

/ Negócios

Aumenta o número de lojas com nível de estoque adequado
Imprimir

Levantamento da Fecomercio mostra, entretanto, que na média os estoques ainda estão bem acima do ideal

Pesquisa divulgada pela Fecomercio/SP mostra que o porcentual de lojistas com estoques em nível considerado adequado na Grande São Paulo subiu de 48,6% para 49,3% na passagem de fevereiro para março.

A entidade informa, porém, que o número segue abaixo do padrão de antes de 2015, quando o indicador rondava os 60%. 

Também destacou o leve aumento do total de lojas com estoques acima do ideal - de 36,5% para 36,7% na mesma base de comparação -, em um sinal de que as promoções feitas após o Natal não foram suficientes, ao menos até o momento, para normalizar os estoques.

Segundo a Fecomercio, o excesso de produtos nas prateleiras tem se mantido acima do esperado, após ensaiar uma queda "muito gradual", e a normalização dos estoques não será um processo rápido.

A pesquisa da entidade revela que a proporção dos comerciantes que dizem ter estoques abaixo do ideal - o que sugere a necessidade de encomendas - recuou de 14,4% para 13,7% desde o mês passado.

Conforme a Fecomercio, enquanto cai o número de lojas com estoques baixos, o quadro de estoques elevados ainda não se dissipou. 

A tendência, apontou, é que os empresários resolvam o problema do giro dos produtos encalhados antes de retomarem os pedidos de mercadorias a fornecedores.

O levantamento é feito mensalmente pela Fecomercio/SP com aproximadamente 600 empresários do comércio de municípios da região metropolitana de São Paulo.

IMAGEM: Thinkstock



Tecnologias, experiências e outras soluções foram apresentadas como as principais tendências para o setor durante a Euroshop 2017

comentários

Para ACSP e Facesp, greve refletirá negativamente no comércio, justamente em um momento em que a atividade econômica experimenta uma incipiente melhora

comentários

As empresas do ramo fecharam o ano com R$ 250,5 bilhões em receitas, de acordo com a Abad. Expectativa é de que o setor feche 2017 com alta de 1%

comentários