São Paulo, 27 de Junho de 2017

/ Negócios

Aumenta o número de lojas com nível de estoque adequado
Imprimir

Levantamento da Fecomercio mostra, entretanto, que na média os estoques ainda estão bem acima do ideal

Pesquisa divulgada pela Fecomercio/SP mostra que o porcentual de lojistas com estoques em nível considerado adequado na Grande São Paulo subiu de 48,6% para 49,3% na passagem de fevereiro para março.

A entidade informa, porém, que o número segue abaixo do padrão de antes de 2015, quando o indicador rondava os 60%. 

Também destacou o leve aumento do total de lojas com estoques acima do ideal - de 36,5% para 36,7% na mesma base de comparação -, em um sinal de que as promoções feitas após o Natal não foram suficientes, ao menos até o momento, para normalizar os estoques.

Segundo a Fecomercio, o excesso de produtos nas prateleiras tem se mantido acima do esperado, após ensaiar uma queda "muito gradual", e a normalização dos estoques não será um processo rápido.

A pesquisa da entidade revela que a proporção dos comerciantes que dizem ter estoques abaixo do ideal - o que sugere a necessidade de encomendas - recuou de 14,4% para 13,7% desde o mês passado.

Conforme a Fecomercio, enquanto cai o número de lojas com estoques baixos, o quadro de estoques elevados ainda não se dissipou. 

A tendência, apontou, é que os empresários resolvam o problema do giro dos produtos encalhados antes de retomarem os pedidos de mercadorias a fornecedores.

O levantamento é feito mensalmente pela Fecomercio/SP com aproximadamente 600 empresários do comércio de municípios da região metropolitana de São Paulo.

IMAGEM: Thinkstock



Depende. Em primeiro lugar, o comerciante deve conhecer e calcular todos os custos envolvidos nas vendas realizadas em cada meio de pagamento

comentários

Este ano será marcado pela tentativa das cervejarias, mais do que nunca, "roubar" mercado das rivais

comentários

De acordo com a CNC, o valor injetado corresponde a 43% do montante sacado, que somou R$ 16,6 bilhões

comentários