Ambev é a cervejaria mais premiada do mundo


A empresa, que pertence ao fundo 3G de Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles (acima), levou 25 troféus. Entre os rótulos premiados, dois são de cervejas artesanais da marca


  Por Estadão Conteúdo 11 de Agosto de 2017 às 16:56

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A Ambev, que pertence ao fundo brasileiro 3G, foi a cervejaria mais premiada do mundo no World Beer Awards (WBA), a principal premiação do segmento, realizada ontem em Londres.

Foi a primeira vez que a companhia conquistou o título. A empresa levou 25 troféus, cinco a mais do que no ano passado.

 
Bohemia foi um dos rótulos medalhistas

Os rótulos medalhistas foram da Bohemia, da Wäls e da Colorado. As duas últimas fazem parte do segmento de cervejas artesanais, no qual a multinacional brasileira passou a investir em 2015, com a compra das marcas.

Da Wälls, por exemplo, foram premiadas a Trippel - eleita a melhor tripel belga do mundo - e a Hopcorn IPA, uma cerveja com 15% de milho em sua receita e que ficou com a medalha de prata na categoria índia pale ale (IPA). 

Do portfólio da Colorado, a recém-lançada Murica ganhou medalha de ouro e foi eleita a melhor cream ale. Outro ouro levou a Eugênia, uma session IPA (IPA mais leve).

O prêmio inglês elegeu as 200 melhores cervejas do mundo, entre 1,5 mil inscritas vindas de cerca de 35 países. 

A Ambev tem sofrido no Brasil com a recessão econômica, que tem afetado principalmente a comercialização das cervejas mais populares, como Skol e Brahma.

LEIA MAIS:Quer viver de cerveja? Então tome decisões sóbrias

No segundo trimestre, a multinacional registrou uma queda de 1,3% no volume de cerveja vendido, na comparação com o mesmo período do ano passado. A companhia não divulga dados do segmento de cervejas artesanais.

No "premium", do qual faz parte a Stella Artois, por exemplo, houve, entretanto, um avanço entre 17% e 19%.