São Paulo, 07 de Dezembro de 2016

/ Negócios

Abilio Diniz agora é o quarto maior acionista do Carrefour no mundo
Imprimir

Ex-controlador do Pão de Açúcar investiu estimados R$ 2 bilhões e dobrou sua participação na rede francesa de hipermercados

O empresário Abilio Diniz, ex-dono do Pão de Açúcar, aumentou de 2,4% para 5,07% sua participação no Carrefour global, tornando-se o quarto maior acionista da rede varejista francesa, atrás dos grupos franceses Arnault (do bilionário Bernard Arnault) e Motier (da família Moulin, dona da Galeries Lafayette) e do fundo de investimento americano Colony.

A transação para elevar a fatia na varejista é avaliada em 630 milhões (quase R$ 2 bilhões) e foi feita por meio da Península, gestora de recursos da família Diniz. O empresário também detém, desde dezembro, 10% de participação no Carrefour Brasil.

Desde que saiu definitivamente do Grupo Pão de Açúcar (GPA), fundado por seu pai, Valentim Diniz, em 1948, o empresário já investiu aproximadamente R$ 6,7 bilhões (valores atualizados) no Carrefour.

Diniz, que foi reeleito nesta semana presidente do conselho de administração da companhia de alimentos BRF, já desembolsou quase 1,5 bilhão na fatia de 5,07% do Carrefour global, além de R$ 1,8 bilhão na compra de 10% da subsidiária brasileira. Essa fatia deve aumentar para 12% e atingir até 16% nos próximos anos.

Embora não participe diretamente da gestão no Carrefour Brasil, o empresário já trabalha para tornar a gestão da companhia mais agressiva no País e bater de frente com seu principal concorrente, o também grupo francês Casino, dono do GPA, antigo sócio de Abílio.

HIPERMERCADO DA REDE CARREFOUR, EM SÃO PAULO

O Brasil continua liderando o aumento das vendas entre as três grandes unidades globais do grupo francês Carrefour. De acordo com relatório de vendas do primeiro trimestre de 2015, a filial brasileira registrou crescimento nas vendas de 8,4% na comparação com os três primeiros meses de 2014 no conceito de mesmas lojas - pontos abertos há mais de um ano - e sem incluir combustível. Em termos orgânicos - conceito que leva em conta as novas lojas - , o desempenho no Brasil foi mais forte, com alta de 13,1% na comparação com um ano atrás.

Diniz poderá se tornar membro do conselho de administração da rede francesa e até ser indicado à presidência do colegiado, em junho, quando está prevista assembleia geral dos acionistas em Paris. A escolha de integrantes para participar do conselho de administração da companhia se dá por indicação. Os nomes, depois, são submetidos em assembleia.

De acordo com fontes de mercado, o empresário também estaria negociando a compra de uma fatia maior na rede francesa global e já teria feito contato com representantes do bilionário Bernard Arnault, dono da holding francesa LVMH, especializada em artigos de luxo, dona da Louis Vuitton, que possui aproximadamente 9% do Carrefour global.

Procurado, nenhum porta-voz da LVMH foi encontrado para comentar a informação. Em comunicado enviado na quinta-feira, 9, à imprensa, a Península informou que adquiriu nos últimos dias novas ações do Carrefour S.A e que não tem a intenção de aumentar sua participação no Carrefour S,A,.

A Península tem sob sua administração cerca de R$ 10 bilhões em ativos. Entre os negócios, a Península é acionista da BRF e da Anima Educação. A gestora de recursos tem boa de seus investimentos em ativos imobiliários, que incluem as 60 lojas alugadas para o Pão de Açúcar em regiões nobre de São Paulo, que devem gerar uma receita de R$ 185 milhões em aluguéis este ano.



Estimativas da ACSP indicam redução de até 6% nas vendas. Para Marcel Solimeo, economista-chefe da entidade, a retomada lenta ainda não é visível devido à comparação com 2015

comentários

Estudo do Sebrae demonstra a importância do setor para a economia. A produção de cinema, TV, publicidade e mídias digitais movimenta R$ 42,7 bilhões e gera 100 mil empregos diretos e 107,6 mil indiretos

comentários

Previsões mostram que, embora o encarecimento do frete prejudique o e-commerce à curto prazo, o fim do monopólio dos Correios pode beneficiar o mercado como um todo

comentários