São Paulo, 27 de Junho de 2017

/ Leis e Tributos

Fiscos do Brasil e da Argentina agilizam a troca de informações
Imprimir

A medida faz parte de um acordo firmado com países do G20 para prevenir a evasão fiscal no planeta

Os Fiscos do Brasil e da Argentina passarão a trocar automaticamente informações sobre o patrimônio e os rendimentos de contribuintes nos dois países. 

O acordo foi assinado nesta sexta-feira, 17/03, em Buenos Aires pelo secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e pelo administrador da Administração Federal de Ingressos Públicos da Argentina, Alberto Abad.

A troca automática de informações abrangerá não apenas o ano fiscal em curso, mas períodos fiscais anteriores. O intercâmbio não se restringe à titularidade do patrimônio dos contribuintes, abrangendo também rendimentos, juros, serviços, royalties e dividendos.

Tanto o Brasil como a Argentina assinaram o acordo com os países do G20 (grupo das 20 maiores economias do planeta) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para a troca automática de informações tributárias para prevenir a evasão fiscal no planeta. 

O acordo entrará em vigor este ano na Argentina e em 2018 no Brasil.

Em outubro, os dois países haviam assinado um memorando que anteciparia a troca de informações tributárias e financeiras de contribuintes para o início deste ano. 

Na ocasião, a Receita Federal tinha informado que investigaria 142 argentinos por alienações (venda e compra de imóveis) superiores a R$ 500 mil e 134 argentinos por operações financeiras de mais de R$ 500 mil.

IMAGEM: Thinkstock

 



A partir da próxima sexta (30/06), o pedido de restituição poderá ser feito de forma simplificada e eletrônica

comentários

Contribuintes podem entrar com mandado de segurança. Muitos já estão obtendo liminar para não recolher tributos sobre a folha até dezembro

comentários

A arrecadação de impostos e contribuições federais somou R$ 97,694 bilhões em maio, um recuo real de 0,96% na comparação com o mesmo mês de 2016, segundo a Secretaria da Receita Federal

comentários