Inovação

A fórmula de sucesso da empresa israelense que ganhou o mundo


A história da Wix é o sonho de qualquer startup. Após sete anos da fundação, está presente em 190 países e possui mais de 108 milhões de usuários cadastrados, segundo seu vice-presidente, Dror Shaked (foto)


  Por Thais Ferreira 20 de Setembro de 2017 às 13:00

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


Uma máxima é repetida à exaustão em eventos de empreendedorismo: “Um novo negócio tem mais chances de sucesso quando se dedica a uma necessidade que não está sendo bem atendida”.

Os fundadores da Wix tiveram essa percepção. Em 2006, Avishai Abrahami, Nadav Abrahami e Giora Kaplan estavam criando uma startup e perceberam que montar um site para essa nova empresa era demorado e caro.

Eles idealizaram, então, uma plataforma em que qualquer um poderia construir um site de forma intuitiva e com poucos cliques.

“Nossa visão é que todos tenham presença online de maneira fácil”, disse Dror Shaked, vice-presidente da Wix, durante a palestra de comemoração de dois anos do Cubo, espaço de empreendedorismo criado pelo banco Itaú e pela Redpoint e.ventures. “Queremos que todos os pequenos negócios tenham a oportunidade de competir no mundo online.”

A história da Wix é sonho de qualquer startup. Após sete anos da fundação, a empresa realizou seu IPO na NASDAQ. Atualmente,  está presente em 190 países e possui mais de 108 milhões de usuários cadastrados.

A israelense faturou US$ 290 milhões em 2016 – um crescimento 43% em relação ao ano anterior.

A TRILHA DO SUCESSO

Um dos ingredientes da receita de sucesso da empresa é o modelo de negócio: o Freemium (união das palavras Free e Premium), em que o serviço básico é gratuito e os adicionais são pagos. 

Dessa forma, os usuários começam usar a plataforma sem pagar nada, mas geralmente optam por assinar um dos pacotes de serviços disponíveis, que ajuda melhorar as funções e aparência dos sites.

“O número de usuários pagos continua crescendo em proporções similares ao número de gratuitos”, afirmou Shaked.

Como a maioria das startups que nascem em Israel, a Wix já foi concebida para ser global.  Para agradar aos diferentes públicos, a empresa costuma fazer estudos para entender o comportamento e cultura de cada país.

Tudo é adaptado ao mercado local. Por exemplo, os americanos gostam de layout mais limpo, enquanto os indianos preferem mais textos.

O número de funcionários é bastante enxuto: são 1,8 mil, espalhados por seis operações locais na Alemanha, Brasil, Estados Unidos, Israel, Lituânia e Ucrânia.

Apesar de todos esses fatores serem importantes para a expansão da Wix, Shaked acredita que o fundamental para o sucesso é medir e testar constantemente.

Na Wix, todos os dados são analisados diariamente. As decisões e os planos da empresa são construídos com base nesses números.  “As métricas são essências para todos os negócios”, afirmou.

Além disso, a empresa realiza cerca de 300 testes diários para entender o comportamento dos usuários e suas preferências.

LEIA MAIS: Potência em startups, Israel tenta criar gigantes

INOVAÇÃO

A inovação também é parte fundamental na trajetória de sucesso da Wix. A empresa não fica parada no tempo.

Para oferecer mais possibilidade para os usuários a empresa criou App Market, em que programadores e desenvolvedores podem criar aplicativos para a plataforma.

Dessa forma, não precisa desenvolver diversas ferramentas e aplicações constantemente, mas mantém os usuários com diversos recursos que podem ser utilizados gratuitamente ou por valores baixos.

Em alguns países, a empresa já está utilizando inteligência artificial para ajudar os usuários a montarem seus sites. A nova ferramenta, chamada de WixADI, deverá chegar ao Brasil ainda neste ano.

A maior novidade, no entanto, é o WixCODE, uma plataforma que pretende facilitar os processos de programação. Será possível criar, por exemplo, uma base de dados ou sites mais complexos.

“O WixCode vai ser revolucionário”, diz Shaked.

FOTO: Thaís Ferreira/ Diário Comércio