São Paulo, 22 de Maio de 2017

/ Finanças

Juros do crédito caem pelo terceiro mês seguido em fevereiro
Imprimir

Os cortes na Selic contribuem para diminuir as taxas cobradas pelos bancos, de acordo com a Anefac

Favorecidas por melhores condições no cenário econômico, com queda da inflação e redução da Selic, as taxas de juros em operações de crédito recuaram em fevereiro pelo terceiro mês consecutivo, aponta levantamento da Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

A média do juro cobrado para pessoas físicas recuou 0,02 ponto porcentual ao mês, passando de 8,12% em janeiro para 8,10% em fevereiro. 

A taxa anualizada ficou em 154,63%. Ela estava em 155,20% em janeiro. Já a taxa média de juros para pessoa jurídica passou para 4,68% ao mês (73,13% ao ano). No mês anterior era de 4,72% ao mês (73,92% ao ano).

Para o diretor executivo de Estudos e Pesquisas da entidade, Miguel José Ribeiro de Oliveira, a perspectiva de mais cortes na Selic contribuem com o recuo nas taxas bancárias. 

"Tendo em vista a melhora das expectativas quanto à redução da inflação, bem como a melhora fiscal, deveremos ter novas reduções da taxa básica de juros, o que reduz o custo de captação dos bancos, possibilitando novas reduções das taxas de juros nas operações de crédito", comenta.

Entre seis linhas de crédito para pessoa física pesquisadas, foi constatado recuo em quatro: cheque especial, CDC (financiamento de veículos), empréstimo pessoal por bancos e empréstimo pessoal por financeiras. 

Já os juros do comércio e do cartão de crédito rotativo registraram alta.

A Anefac apontou que, levando em consideração as flutuações da Selic verificadas desde março de 2013, quando estava na mínima história de 7,25%, até hoje (12,25%), a taxa é 5,00 pontos porcentuais maior, o que provocou uma escalada considerável nos juros praticados no mercado. 

Para pessoas físicas, o juro médio das operações de crédito foi de 87,97% para 154,63% no intervalo. Já nas operações com pessoa jurídica, a taxa média se elevou de 43,58% para 73,13%.

IMAGEM: Thinkstock



Queda de 15,1% na comparação com o mês anterior confirma nível de confiança ainda contido e desemprego elevado, de acordo com a Serasa

comentários

O desaquecimento da economia foi um dos fatores pontuados por representantes da instituição para justificar as perdas

comentários

Nos últimos 12 meses, o indicador da Boa Vista SCPC mostra recuo de 0,4%. No período, apenas a região sudeste acumulou alta

comentários